Skull Clothing: street wear cheio de estilo


A Skull Clothing é uma loja de street wear cheia de peças que são, ao mesmo tempo, confortáveis e com personalidade. No site você encontra uma grande variedade de camisetas, camisas longline, moletons, bermudas e regatas, com estampas diversas ou sem estampa. 

Agora que o frio chegou de vez, nada melhor do que investir em peças quentinhas, bonitas e confortáveis, né? E os moletons da Skull Clothing estão com desconto :)


Todos esses mostrados no post estão custando R$76,90. Esse primeiro foi minha escolha no site e posso atestar alguns pontos sobre a peça: é idêntico a imagem, quentinho, bem confortável e tem um comprimento ótimo para usar com calças (principalmente leggings). Como eles tem a forma masculina, pras meninas que curtirem vale pegar um número menor, pra ficar do tamanho que geralmente usamos. O pacote também chegou muito bem embalado, e demorou cerca de uma semana. 




As estampas mostradas aqui são só uma amostra do que vocês encontram por lá, tem muito mais - e claro, peças lisas também. 

A Skull Clothing aceita pagamento por cartão crédito e boleto bancário. 

E vocês, já conheciam a loja? O que acharam das peças que eu trouxe? Me contem nos comentários :)

Las Chicas del Cable (As Telefonistas): sufrágio, liberação feminina e conflitos amorosos


Em Las Chicas del Cable,  acompanhamos quatro personagens femininas, de origens diferentes, mas que se encontram no mesmo ambiente: trabalhando como telefonistas numa grande companhia telefônica de Madrid, ao final dos anos 1920. 

A série nos oferece uma visão interessante sobre a época, com a efervescência do movimento sufragista e a luta das mulheres pelo direito ao voto e também pela possibilidade das mulheres entrarem com pedido de divórcio. 

As quatro personagens principais da série são: Marga, uma mulher que veio da zona rural e está dando seus primeiros passos rumo à independência; Ángeles, que sofre com o marido abusivo e violento; Carlota, vinda de família rica e repressora, tornou-se telefonista para poder ser independente e Lídia, que na realidade chama-se Alba mas assumiu uma identidade falsa para fugir dos problemas de seu passado. 

As quatro se tornam amigas e suas histórias se entrelaçam, muitas vezes com uma ou várias interferindo nos problemas das outras. Diversas temáticas são abordadas, como relacionamentos amorosos, alpinismo social, traição, violência doméstica, bissexualidade feminina, transexualidade, relacionamento à três, entre outros. 


Las Chicas del Cable tem figurinos lindos num bom resumo da transição da década de vinte para a de trinta, uma fotografia bonita com tons fortes e trilha sonora moderna, o que acaba destoando um pouco, embora divida opiniões.

Os conflitos amorosos estão muito presentes na série - a personagem central, Lídia/Alba reencontra um amor do passado ao mesmo tempo em que se envolve num novo relacionamento. Esses episódios acabam pesando a carga dramática da série, dando toques de 'novela mexicana' à produção, o que pode desagradar muitos espectadores. 


A primeira temporada conta com oito episódios com duração média de 50min, assim como a segunda. Eu sou apaixonada pela língua espanhola e pra mim, poder ouvi-la na série é um grande ponto positivo. Para quem não gosta ou não está habituado, talvez cause um leve estranhamento no início. 

A série é narrada por Alba/Lídia e os diálogos são um ponto muito positivo. Por ser uma produção centrada nas mulheres e em suas vivências, as cenas de diálogos entre elas rendem observações interessantíssimas e ajudam a dar um panorama sobre a época retratada. 


De um modo geral, Las Chicas del Cable é uma série promissora que comete alguns deslizes chatos. Mesmo assim, os pontos positivos acabam pesando mais na balança e vale a pena dar uma chance à produção e se deixar envolver por essa história.