Filmes da Semana: melancolia, clássicos e temática gay


Sei que eu sempre digo isso, mas o post de hoje especialmente tem um compilado de filmes incríveis, e por mais diferentes entre si que sejam, se comparam na qualidade.

1. À Espera de um Milagre (1999)
(drama, fantasia, mistério, policial)


Baseado em uma história de Stephen King, conheça Paul, chefe de guarda de um corredor da morte durante o ano de 1935. Certo dia, chega em suas celas um prisioneiro imenso chamado John Coffey, acusado de estuprar e matar duas jovens meninas. Um relacionamento entre os dois surge durante o conviver, revelando que Coffey parece ser muito mais do que as impressões sugerem.


Provavelmente eu sou a única pessoa do mundo que ainda não havia visto esse filme, hahaha. Depois de tanta enrolação decidi assistir e sim, é mesmo tão bom quanto dizem por aí. São quase três horas que parecem passar em instantes, o filme é super emocionante e a história é conduzida de uma forma difícil de não se envolver. Pra não citar apenas pontos positivos, devo dizer que o dramalhão é um pouco excessivo em alguns momentos, o que me incomoda um pouco pois prefiro a sutileza - mas claro, isso é pessoal :) Para assistir online clique aqui

2. Um Condenado à Morte Escapou (1956)
(drama, guerra, thriller)


Baseado na história do ativista da resistência francesa Andre Devigni, que acaba preso durante a ocupação alemã na França e é condenado à morte. O que alimenta sua esperança é a preparação de um plano para fugir do seu destino.


É difícil explicar o quão bom esse filme é: filmado com poucos recursos e em poucos ambientes diferentes, Um Condenado à Morte Escapou impressiona pelas atuações (principalmente do protagonista), pela perfeição dos mínimos detalhes, pela fotografia lindíssima e por envolver o espectador ao máximo. É uma história real conduzida com um tom de melancolia e fugindo de qualquer clichê. Enfim, fantástico. Para fazer o download clique aqui

3. Primavera para Hitler (1967)
(comédia)


Max Bialystock é um produtor teatral em uma maré de má sorte, que namora mulheres idosas com dinheiro para conseguir financiamento para suas novas peças. Entretanto, Max realmente acredita ter descoberto uma grande jogada quando conhece Leo Bloom, um contador que ao conversar com ele expõe a tese de que um fracasso pode ser mais lucrativo que um sucesso, bastando que se venda o espetáculo para diversas pessoas e fazer de tudo para que ele seja um retumbante fracasso, com sua temporada durando apenas um dia, pois assim não existirá lucro e todo o dinheiro que foi investido irá parar no bolso daquele que vendeu os direitos da peça. Após uma certa relutância, Leo se une a Max para montarem o pior musical que a Broadway já viu: "Primavera para Hitler".


As vezes tudo o que a gente precisa é de uma comédia, né? Primavera para Hitler é um clássico extremamente original e divertidíssimo, que inclusive ganhou um remake em 2005. Não é um filme de gargalhar, mas consegue divertir com sua mistura de humor 'pastelão' e humor sarcástico. Até quem não é muito fã de comédia (eu??) vai gostar. Para fazer o download clique aqui.

4. Jules e Jim - Uma Mulher para Dois (1962)
(drama, romance)


Na virada para o século XX, Jules e Jim são dois amigos que se apaixonam pela mesma mulher, Catherine, que acaba casando com Jules. Depois da Primeira Guerra Mundial, quando eles se reencontram na Alemanha, Catherine começa a amar Jim.


Já deu pra perceber que estou numa época de clássicos 60's, né? hahah Eu gosto muito da temática de triângulo amoroso e a forma com que o amor (e a amizade) são discutidos em Jules e Jim me agradou muito. Tem personagens muito bem construídos e diálogos sensacionais, inteligentes. Para fazer o download clique aqui

5. Quando Se Tem 17 Anos (2016)
(drama, romance)


Damien vive com a mãe, uma médica, enquanto seu pai foi enviado para a África Central. O menino, homossexual, é agredido por um outro garoto na escola, Tom, cuja mãe adotiva está doente. A repulsa e violência entre eles é ainda mais incitada quando a mãe de Damien decide dar abrigo a Tom.


A homossexualidade ainda é pouco abordada no cinema, e quando isso ocorre ainda temos de lidar com vários clichês que foram se formando ao longo do tempo. Quando Se Tem 17 Anos me encantou do início ao fim - e até entrou para a minha lista de favoritos. Não é um filme livre de clichês (na verdade, bem longe disso) mas ele certamente consegue se desenvolver de maneira satisfatória mesmo assim. A trama é muito mais complexa que um simples romance, consegue abordar o luto, a adoção, a desigualdade social e muitos outros assuntos nas entrelinhas. A construção do romance também não decepciona de forma alguma, é tudo construído de maneira lenta e verossímil e no fim das contas o filme é super sensível e bonito. As diferenças entre os personagens tornam tudo mais interessante. Para fazer o download clique aqui