Resenha: Uma Criatura Dócil, de Dostoiévski


Todos que gostam de ler tem seus escritores preferidos, e não nego nesse humilde bloguinho que Dostoiévski figura entre meus mais queridos. Seus livros pra mim são como um refúgio, obras onde eu sei que vou encontrar elementos que me agradam. Mas Uma Criatura Dócil me pegou desprevenida, me emocionou e me agradou tanto que eu parecia estar descobrindo algo novo, e não lendo um livro de um autor que já li inúmeros outros e conheço "de cor e salteado" os elementos do estilo. Uma Criatura Dócil é para todos: os que amam os clássicos, os que não entendem o que vemos de tão bom nessa 'velharia', para os que tem intimidade com esse autor russo e para os que nunca sequer ouviram falar em seu nome - é para todos. Uma leitura extremamente agradável e prazerosa, repleta de emoções diversas. 

O livro inicia com o próprio autor fazendo alguns comentários a respeito de seu texto: Dostoiévski o classifica como "fantástico", embora tenha um fundo realista. Essa parte é muito interessante porque há a sensação do escritor estar falando diretamente com nós, leitores. 

A partir daí inicia-se Uma Criatura Dócil, a novela de pouco mais de 100 páginas escrita em cerca de trinta dias. No livro acompanhamos a história de um casal recém casado: ele, o dono de uma loja de penhores, com 40 anos de idade; ela, órfã, sem ao menos ter completado 16. O livro todo é narrado em primeira pessoa por ele.


No primeiro capítulo, a sentença: a menina cometera suicídio. E a partir deste fato a narrativa é construída, com o marido contando os acontecimentos que antecederam a morte da esposa e tentando entender seus motivos. Essa narrativa é revestida de muita emoção e demonstra um forte abalo psicológico por parte do narrador. A angústia, a tristeza e a culpa são sentimentos fortemente evocados pela história. Em poucas páginas Dostoiévski consegue criar dois personagens extremamente complexos e verossímeis, com histórias banais mas particularidades que captam a atenção do leitor. Algo muito presente em suas obras e que também aparece nesta aqui são os fortes conflitos psicológicos dos personagens, a ênfase nos conflitos de ordem interna acompanhando os de ordem externa. 

Uma Criatura Dócil me sensibilizou ao extremo, em especial os últimos capítulos, que me tocaram muito. A leitura flui num ritmo excelente, os capítulos curtos são ótimos e não dá vontade de parar de ler. Além disso, a história pode ser pensada sob vários ângulos, e um dos que mais ficou martelando minha mente no decorrer da leitura foi a relação de poder que se estabeleceu por conta da enorme diferença de idade. No fim das contas, a história da menina de quinze anos, tão desprezada que nem nome tinha, é uma história de tristeza, humilhação e jogos de poder. Sendo órfã, não conseguindo emprego e vivendo uma relação conturbada com as tias que a criavam, ela enxerga o casamento como uma única possibilidade de escape. A maior tristeza de todas é compreender que Uma Criatura Dócil é a história de uma menina que preferiu a morte à submeter-se.

Me vi presa a essa trama, com diversos sentimentos sendo evocados a medida que a história vai sendo concluída. Uma Criatura Dócil é uma obra que certamente mexe com a nossa emoção. Uma história curta, porém marcante, difícil de tirar da cabeça depois que acaba - e eu acabei assim, aos prantos e ainda mais fascinada pelo universo de Dostoiévski. Recomendo à todos que gostam de um bom livro :)

4 comentários:

  1. Oi, Bru!

    Eu gosto muito de Dostoiévski e li todos os livros deles que eu pude achar na biblioteca da minha cidade quando eu tinha uns 12, 13 anos. Acho que ler livros assim foi muito o que moldou minha personalidade, então sempre me encontro em Dostoiévski. Vou tentar encontrar esse livro pra ler, ele deve ser muito lindo!
    Beijão!

    www.vultuspersefone.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rafa! Eu comecei a ler Dostoiévski aos 14, quando me deparei com Humilhados e Ofendidos na biblioteca da escola, e esse até hoje é meu favorito dele, sou completamente apaixonada pela história. Uma Criatura Dócil é super bonito e triste, e difere bastante de outros livros dele. Acho que tu vai adorar!
      beijos

      Excluir
  2. Eu AMO Dostoiévski, li quando era mais nova e me apaixonei por Noites Brancas <3 <3 depois disso devorei os outros livros. Criatura Dócil me deixou bem triste na época.

    bruna-morgan.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna! Noites Brancas é muito bonito. Uma Criatura Dócil me fez chorar como poucos livros antes fizeram, mas eu amei, acho incrível que uma obra consiga nos tocar a esse ponto.
      beijos

      Excluir

♥ Não comente se não tiver lido a postagem, spams são desrespeitosos e serão imediatamente excluídos ♥
♥ Você tem um blog? Deixe seu link ao final do comentário, vou adorar conhecê-lo ♥
♥ Sua opinião é muito importante e eu sempre quero lê-la, aqui você pode discordar sempre que quiser - mas mantenha o respeito ♥
♥ Os comentários sempre são respondidos, mesmo que demore alguns dias. O blogger não avisa quando alguém responde seu comentário, para receber a resposta é necessário marcar a caixa "notifique-me" quando for escrevê-lo ♥

Fanpage | Instagram | LookBook.nu

Tem alguma dúvida ou sugestão?
Você pode entrar em contato comigo pelo e-mail chanelfakeblog@outlook.com