A Praça


Estava eu sentado no banco da praça, aquela, no centro da cidade, cujas flores, sempre tão amarelas e cor-de-rosa cobriam grande parte do canteiro atrás dos bancos. Tu te lembras? Tu adorava olhar para aquelas flores. Te abaixava até que seus joelhos quase tocassem o chão, e tuas mãos acariciavam as pétalas tão delicadamente... Parecia primavera. Sempre parecia primavera, independente da estação e da temperatura.

Nesse dia em questão, eu não sei se tu ainda te lembras, eu estava lá te esperando. Não fazia muito, uns dez ou quinze minutos talvez, embora eu já estivesse atrasado e tu mais ainda. Algo estranho, já que tu sempre fostes muito pontual. 

Não estava quente, mas eram três horas da tarde e o sol ardia forte sob minha cabeça, brilhando sobre as páginas amareladas do livro do Machado de Assis que eu lia. Tu não gostava dele, achava chato. Eu te achava mais chata que ele, mas ainda assim, gostava um pouco mais de ti. 

Um pouco depois das três e dez tu chegou. Estava tão bonita naquele vestido estampado, o azul te iluminava o rosto e deixava o cabelo escuro parecer ainda mais escuro. O casaquinho por cima do vestido não combinava com exatamente nada, mas ficava tão bonito em ti. 

Estranhei que tu não estivesses sorrindo como de costume; geralmente quando me encontrava assim, te esperando, tu abria um sorriso tímido, com a cabeça meio baixa, e não me olhava nos olhos até chegar perto de mim. Estranho que já estivéssemos juntos há tanto tempo e que o frio na barriga ainda estivesse presente.

E então, depois dos segundos parecerem horas, tu chegou. Sentou ao meu lado direto, sem o costumeiro beijo antes de se sentar. Tu não olhava diretamente nos meus olhos, mantinha a cabeça baixa e tinha as mãos tensas. Naquele momento eu entendi tudo. Entendi que os amores não são eternos, que muito do que se diz é mentira e que muito do que se sente jamais chega a ser dito.

Tu começou a olhar para os lados, evitando meus olhos a qualquer custo. E com a voz baixa e levemente rouca, me disse:

- André, eu preciso conversar contigo. 

7 comentários:

  1. Mulher essa história precisa de uma continuação! Quero saber oq acontece depois, hahaha. Fazia tempo que tu não postava textinhos né! Gosto do jeito que tu escreve, tuas colocações são mto boas, nota 10. Beijocas ;**

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Anna! hahaha, o que acontece depois fica por conta da imaginação de quem leu :p Eu adoro escrever esses textinhos curtos, narrando apenas um momento. Fazia mesmo, inspiração tá em falta por aqui "/ haha muito obrigada <3
      beijão

      Excluir
  2. Muito bonito, me deu um nó no estomago só de pensar em uma continuação, ficção bem legal para refletir.
    Bjos

    http://larissasantosinteriores.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Pensei em tantas continuações que nem sei qual escolher. rs
    Adoro seus textos. Certeza que se um dia você escrevesse um livro eu iria querer ler. ^^
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

♥ Não comente se não tiver lido a postagem, spams são desrespeitosos e serão imediatamente excluídos ♥
♥ Você tem um blog? Deixe seu link ao final do comentário, vou adorar conhecê-lo ♥
♥ Sua opinião é muito importante e eu sempre quero lê-la, aqui você pode discordar sempre que quiser - mas mantenha o respeito ♥
♥ Os comentários sempre são respondidos, mesmo que demore alguns dias. O blogger não avisa quando alguém responde seu comentário, para receber a resposta é necessário marcar a caixa "notifique-me" quando for escrevê-lo ♥

Fanpage | Instagram | LookBook.nu

Tem alguma dúvida ou sugestão?
Você pode entrar em contato comigo pelo e-mail chanelfakeblog@outlook.com