Receita: Esfihas | Vegetariana


Ei gente! Hoje trago pra vocês uma receita que pensava ser difícil, mas é super fácil, rápida e extremamente gostosa. Não sei vocês, mas eu adoro esfihas e fiquei apaixonada por essas caseiras. Com poucos ingredientes fazemos a massa e podemos variar o recheio com os vegetais disponíveis em casa e molhos diferentes :3

Ingredientes:

2 xícaras de farinha*
3 colheres (de sopa) de açúcar
1 colher (de chá) de sal
1 colher (de sopa) de fermento biológico
4 colheres (de sopa) de óleo
3/4 de xícara de água morna

*Usei farinha integral, por isso a massa das minhas ficou escurinha. Mesmo com a farinha integral ficou delicioso e é uma opção mais saudável, mas creio que com a farinha de trigo branca fique ainda melhor. 



Para preparar a massa, é simples: numa vasilha, misture os secos e depois adicione o óleo e água. Depois é só deixar a massa descansar até que dobre de tamanho (geralmente uns 40 minutos). Enquanto isso, você pode ir preparando o recheio das esfihas. 

Eu usei milho, tomate, pimentão verde e champignon com molho de tomate bem concentrado (para não escorrer). Orégano e salsa por cima ficam ótimos também. 

Depois que a massa tiver aumentado de tamanho, é só fazer o formato das esfihas dobrando as bordas e colocar o recheio no centro. Coloque-as numa forma untada e asse a 180ºC por cerca de 20min ou até que fiquem douradinhas. 


E pronto! Depois disso é só saborear suas esfihas :) Ficam ótimas com catchup! 

Pode parecer demorado por conta do tempo de espera para a massa crescer, mas realmente não é. O tempo que ficamos de fato preparando as esfihas é bem curto e o processo todo é muito simples e fácil. A massa é ótima, fofinha e leve. 

Essa receita rende cerca de 15 esfihas de tamanho médio. Você também pode congelá-las depois de rechear e só retirar do congelador para assá-las. 

Bom, espero que vocês tenham gostado da receita, me contem aí nos comentários se ficaram afim de fazer <3 

Filmes Assistidos Recentemente


Oi gente! Com feriadão, nada melhor do que assistir um filminho no tempo livre, né? Hoje tenho três excelentes, com tramas bem diferentes, pra indicar para vocês. Espero que gostem ^^ 

1. Cara Gente Branca (2014)
(drama)


Quatro estudantes negros entram numa universidade da Ivy League, onde um tumulto irrompe depois de uma festa temática "afro-americana" promovida por estudantes brancos. O filme explora a identidade racial na América pós-racial, enquanto tece uma história sobre as tentativas de fazer uma trajetória única no mundo.


Eu não conhecia esse filme, e acabei me deparando com ele num blog - o título logo me chamou a atenção e fui assistir. Se trata de uma história real, onde, numa universidade, estudantes brancos criaram uma festa com temática afro totalmente ridicularizadora e racista. A forma com que as coisas são feitas é tão absurda que não acreditei que isso pudesse de fato ter acontecido, e há tão pouco tempo. O filme é ótimo em sua abordagem sobre o racismo no século XXI, com personagens interessantes e uma fotografia maravilhosa. A edição e a trilha sonora também se destacam. As pequenas doses de humor tornam o filme único, a acidez das críticas mostram para quê veio Cara Gente Branca. Um filme que merece ser visto, sem personagens estereotipados, sem discursos ultra-otimistas tapando o racismo que infelizmente existe e com diálogos excelentes para promover a reflexão. Para assistir online, clique aqui

2. O Despertar de Um Homem (1993)
(drama)


No final dos anos 50 Caroline Wolff, uma mãe solteira nômade, só deseja se estabelecer em um lugar, achar um sujeito decente e conseguir uma casa melhor para seu único filho, Tobias "Jack" Wolff. Quando ela se muda de Seattle e conhece o respeitável Dwight Hansen, um mecânico de automóveis, ela crê que alcançou seu objetivo. Mas Jack se sente diferente após passar alguns meses com Dwight e os filhos dele e longe de Caroline. O padrasto do jovem parece querer fazer de Jack uma pessoa melhor, mas ao tentar fazer isto ele abusa emocionalmente e fisicamente do garoto, além de tratá-lo verbalmente de forma grosseira. Com pouco tempo de casada, Caroline vê que Dwight precisa dominar todos que estão ao seu redor, mas sentindo-se insegura para buscar outra relação passa a acreditar que isto é a melhor coisa para seu filho. Durante este tempo Jack se torna amigo de Arthur Gayle, enquanto continua sofrendo sob o jugo repressivo do seu padrasto. Jack só sonha com uma coisa: conseguir uma bolsa de estudos para poder partir para sempre.


Di Caprio novinho e De Niro contracenando no mesmo filme, não podia ser ruim, né? Esse é um filme que descobri na Netflix e fui assistir na mesma hora em que encontrei. Também é baseado em fatos reais, e a trama conquista por ser tão verossímil, quase palpável - dá para enxergar a história de muita gente ali, naquele filme. É uma história simples e uma obra que cumpre o que promete. A transição da infância para a adolescência é muito bem retratada, sempre com foco na busca pela independência e liberdade. Para assistir online, clique aqui. *Disponível no Netflix

3. O Homem Duplicado (2014)
(mistério, thriller)


Adam é um professor de história que leva uma vida monótona, até que descobre a existência de Anthony, um ator de pouco destaque que é fisicamente idêntico a ele. A partir de então, Adam cria uma verdadeira obsessão pelo seu sósia, e passa a persegui-lo em busca de respostas.


Sou suspeita para falar, porquê adoro esse tipo de filme que "desgraça" a cabeça. O Homem Duplicado é o tipo de filme que exige muita atenção aos detalhes, muita interpretação dos símbolos e paciência para lidar com a complexidade e com o nó mental que pode surgir ao término. Não é um filme tão fácil de digerir, mas é o tipo de obra que te marca. O mais interessante é tentar entendê-lo quando acaba, como num quebra-cabeça, tentando juntar os pedacinhos e ver se o todo resultante forma algo. As atuações são ótimas e a fotografia é linda - o filme prende do início ao fim. Mas desgraça a cabeça. Já aviso de antemão. Para assistir online, clique aqui. *Disponível no Netflix. 


E por hoje é só ;) Espero que vocês tenham gostado das indicações e que possam curtir um filminho no fim de semana <3

OOTD: Vestido Cinza


Oi gente! Nas duas últimas semanas acabei não postando nenhum outfit por aqui, vocês sabem como é, esse friozinho não anima muito a gente a sair... hahahaha Mas essa semana chegou esse vestido cinza lindão da She In que estava aguardando, eu adoro esses vestidos de inverno, com manga longa e feitos em tecidos mais quentinhos. Esse é ótimo, a malha é muito gostosa e ele é bem básico, porém charmosinho: é cinza liso, combina com tudo, mas tem o detalhe do colo com botões e o caimento no corpo que acabam fazendo a diferença. Até brinquei essa semana no facebook que se fosse arrumar meu guarda-roupa por cor ficaria difícil, já que a maioria das roupas são pretas ou cinzas, e o outfit de hoje exemplifica bastante isso. 

Adoro essa combinação de vestido com sobretudo, e o comprimento dos dois ficou bem certinho. Como o vestido tem o decote redondo mais aberto, usei o lenço para não passar frio (não dá pra bobear, estou gripada inclusive ))): haha) e um cinto preto só por gosto, porquê ele já tem a marcação da cintura. Meia-calça grossa (essa é fio 100 de acrílico) e botinhas de cano curto para completar. 









Vestido: She In | Casaco: Romwe 

O colar com camafeu de corvo é da Cute Shop e o anel de cabra é do aliexpress (link aqui) e demorou séculos para chegar, nem lembrava mais que havia comprado HUAHUHAHUAHUA Mas adorei ele!

O esmalte é o Vinho da Impala e o batom é o Vamp da Avon (resenha aqui) :)

Ah, e não pensem que só um vestido e um sobretudo enfrentam esse frio terrível que tem feito no RS: eu estava com um suéter por baixo do vestido também, para aquecer mais. E isso que o inverno nem começou ainda hahahaah 

E vocês, curtiram o look de hoje? Me contem nos comentários ^^ 

Resenha: O Eterno Marido, de Doistoiévski


Já disse aqui no blog e vou repetir: sou apaixonada pelos clássicos. Nunca a literatura contemporânea produziu em mim um décimo do efeito que alguns clássicos produziram. Dostoiévski figura entre meus autores preferidos, e cada obra que leio dele o admiro ainda mais. Com O Eterno Marido não foi diferente. 

Logo que comprei esse livro, surgiu em mim a dúvida do porquê do título, um tanto curioso. Eternos Maridos seriam os homens que só existem para adorno de suas esposas - homens submissos, sem personalidade, sem vontades próprias. Ao que a própria narrativa se incube de conceituar e explicar:

"A seu ver, o caráter essencial de semelhantes maridos consistia em serem, por assim dizer, "eternos maridos", ou, dizendo melhor em serem, na vida, unicamente maridos e mais nada. Um homem dessa espécie nasce e cresce tão somente para se casar e, após o matrimônio, tornar-se de imediato um complemento da esposa, mesmo que possua indiscutivelmente personalidade própria... Se por exemplo, além disso, era ainda funcionário público, isto se dava unicamente porque o próprio serviço na repartição tornava-se também, para ele, por assim dizer, uma das obrigações do seu matrimônio..."

A trama gira em torno de dois personagens principais: Veltchaninov e Páviel Pavlovitch, esse segundo sendo o "eterno marido". Pavlovitch, após a morte da esposa a qual era extremamente dedicado, descobre que esta teve muitos amantes durante sua vida - um deles sendo um velho amigo seu, Veltchanimov. Esse segundo é um jovem indeciso, enquanto o viúvo afundou-se no álcool. Grande parte do livro é pautada no reencontro dos dois, marcado por grandes emoções. Páviel e sua esposa tiveram uma filha, na data do reencontro já com dez anos e uma saúde muito frágil - esta, Veltchanimov suspeita que seja, na verdade, sua própria filha. 



Através da narrativa temos acesso aos pensamentos de Veltchaninov, e muito mais que acompanhar os fatos, conseguimos ter acesso à complexidade das emoções humanas e como, vez ou outra, sentimentos ambíguos acabam tomando conta da mesma pessoa. O livro inteiro é uma miscelânea de emoções. 

Dostoiévski traz a "O Eterno Marido" suas características típicas: a ironia, o humor sarcástico e o sofrimento humano. É um romance curto, dividido em dezessete pequenos capítulos, o qual nos prende desde a primeira linha. 



Apesar de ter sido escrito em 1890 e Dostoiévski ser um clássico da literatura russa, suas obras tem linguagem acessível e fácil até para quem não está acostumado a livros do gênero. Os diálogos presentes na obra são muito bem construídos para nos dar ideia dos conflitos internos a que são submetidos os personagens. Aliás, conflito é uma palavra que define esse livro muito bem. 

Essa edição da L&PM pocket tem 173 páginas, e o ritmo da narrativa nos faz querer chegar ao final rapidamente - esse, excelente, como costumam ser os finais das obras de Dostoiévski. 

Um livro que vale muito a pena ler, tenha você tido contato ou não com outras obras do autor. 

Filmes Assistidos Recentemente


Oi gente :) Hoje tenho três filmes muito interessantes e mais conhecidinhos para indicar para vocês. Provavelmente muitos já viram pelo menos um, mas acredito que toda indicação é válida, né? :p As vezes a gente sempre ouve falar sobre um filme, mas continua postergando a hora de assisti-lo. Foi mais ou menos isso que aconteceu com o primeiro dessa lista. 

1. Sweeney Todd: O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet (2008)
(drama, musical, suspense)


Benjamin Barker passou 15 anos afastado de Londres, após ser obrigado a deixar sua esposa e sua filha. Ele retorna à cidade ávido por vingança, agora usando a alcunha de Sweeney Todd. Logo ele decide ir à sua antiga barbearia, agora transformada em uma loja de fachada para vender as tortas feitas pela sra. Lovett. Com o apoio dela Todd volta a trabalhar como barbeiro, numa sala acima da loja. Porém o grande objetivo de Todd é se vingar do juiz Turpin, que o enviou para a Austrália sob falsas acusações para que pudesse roubar sua mulher Lucy e sua filha.


Filme do Tim Burton com o Johnny Depp e a Helena Bonhan Carter, claro que é bem famosinho né? :p Sempre ouvi falar muito bem desse filme, mas confesso que não sou tão fã desse trio e não tinha nenhum interesse especial nesse filme. Eis que acabei ficando uns dias sem internet e deu a coincidência de estar passando esse filme em algum canal do Tele Cine de noite, e acabei assistindo. E é realmente muito bacana! O que mais surpreende em Sweeney Todd é a perfeição estética: a fotografia é simplesmente deslumbrante, muito obscura, sempre com preto, branco e cinza como foco e as vezes o vermelho deixando tudo mais bonito. Não sou a maior fã de musicais, mas esse casa perfeitamente com o gênero. Para assistir online, clique aqui

2. Um Corpo que Cai (1958)
(mistério, romance)


Em São Francisco, um detetive aposentado que sofre de um terrível medo de alturas é encarregado de vigiar uma mulher com possíveis tendências suicidas, até que algo estranho acontece nesta missão.


Existem muitos filmes do Hitchcock que tenho interesse em assistir, e Um Corpo que Cai fazia parte da minha listinha também. O ator principal é o James Stewart, que também protagoniza outros filmes do diretor, como Janela Indiscreta. Esse filme é um clássico do suspense, com uma trama bastante complexa com direito a reviravoltas que o tornam grandioso. Tem o ritmo ligeiramente arrastado na primeira metade do filme, mas na segunda se recupera e acaba não sendo cansativo. Um ótimo filme, principalmente para quem gosta dos clássicos. Para assistir online, clique aqui. *Disponível no Netflix

3. Spotlight - Segredos Revelados (2016)
(biografia, drama, história)


"Spotlight - Segredos Revelados" conta a verdadeira e fascinante história da investigação ganhadora do Prêmio Pulitzer feita pelo jornal Boston Globe, que viria a abalar a cidade e causar uma crise em uma das instituições mais antigas e confiáveis do mundo. Quando o time de repórteres da tenaz equipe Spotlight mergulha nas alegações de abuso na Igreja Católica, a investigação de um ano desvenda décadas de encobrimento nos mais altos níveis dos estabelecimentos legais, religiosos e governamentais de Boston, desencadeando uma onda de revelações ao redor do mundo.


Assisti Spotlight após o filme ter ganho o Oscar de melhor filme, não havia lido nada sobre ele antes e posteriormente me interessei bastante. A temática é pesada e bastante polêmica, por mexer com uma instituição detentora de poder - a Igreja - e crimes sexuais envolvendo membros dela. É um drama que não apela, mas consegue emocionar e tratar a questão de maneira muito lúcida. As atuações são ótimas e o filme é impecável, uma história que precisava ser contada e que precisa ser divulgada, conhecida, retirada detrás dos bastidores. Para assistir online, clique aqui


Gostaram das obras de hoje? Já assistiram alguma? Me contem nos comentários <3

Receita: Creme de Batata | Vegetariano


Oi gente! Esse friozinho que está fazendo (pelo menos aqui no RS) é ótimo para tomar uma sopa ou creme, né? Eu nunca fui muito chegada em sopas, mas esse creme de batata é minha paixão. Procurando na internet receitas do tipo encontramos algumas muito complicadas e/ou com ingredientes de origem animal e essa aqui é super simples, gostosa e vegetariana. Quem nunca provou uma dessas não sabe o que está perdendo :p 

Ingredientes: 

Batatas*
Sal
Óleo
Cebola

*Eu calculo duas ou três batatas por pessoa. 

Para começar, descasque as batatas e cozinhe-as na água com sal até ficarem bem moles. Depois disso, passe as batatas para o liquidificador e adicione um pouco de água - pode ser a água do próprio cozimento das batatas. 


Devemos bater as batatas com água até que fique líquido, levemente cremoso, adicionando mais água sempre que necessário, até não restar mais pedacinhos inteiros de batata.

Numa panela, refogue cebola num fio de óleo (se você gosta de alho, pode refogar um pouco também). Quando a cebola estiver dourada, coloque o conteúdo do liquidificador na panela e mexa até a água evaporar e começar a borbulhar. Prove e acrescente mais sal se necessário. Está pronto :)


Com salsa por cima fica uma delícia! Super fácil, né? Uma ótima escolha para aquecer esses dias frios. 

Vocês já conheciam essa receita? Ficaram com vontade de fazer? Me contem nos comentários ^^ 

Playlist da Semana


Oi gente! Faz tempo desde a última vez que publiquei uma playlist aqui, né? Mas hoje me deu vontade de compartilhar algumas músicas que estou ouvindo bastante ultimamente. Não consigo parar de assistir esse clipe da Doro desde que lançou, essa música é ótima e eu amei o clipe. Tem música do novo álbum da Otep também (o Generation Doom) e também tem banda nacional, a Maldita, com seu novo clipe La Belle Indifférence. Espero que vocês gostem :)



E por hoje é isso :) Vocês gostam de alguma banda da playlist? Conheceram alguma coisa nova? Me contem nos comentários ^^

Filmes Assistidos Recentemente


Oi gente! Essa semana eu consegui assistir até que bastante filmes. A opção de criar uma lista com os filmes do meu interesse no Netflix acaba tornando o ato de escolher um filme muito mais rápido, e assim é mais fácil assistir algo no tempo livre. A categoria de filmes clássicos do site é muito boa, vale a pena dar uma olhada nos de lá :) E hoje eu trouxe três filmes com temáticas bem diferentes para indicar para vocês, vamos conferir? 

1. Hotel Ruanda (2004)
(drama, guerra, história)


Em 1994 um conflito político em Ruanda levou à morte de quase um milhão de pessoas em apenas cem dias. Sem apoio dos demais países, os ruandenses tiveram que buscar saídas em seu próprio cotidiano para sobreviver. Uma delas foi oferecida por Paul Rusesabagina, que era gerente do hotel Milles Collines, localizado na capital do país. Contando apenas com sua coragem, Paul abrigou no hotel mais de 1200 pessoas durante o conflito.


Esse filme é um soco no estômago, muito triste mas necessário. A história é real e o filme no que tange os aspectos técnicos é excelente, não deixa nada a desejar, as atuações são muito boas e ele aborda de forma bastante simples para leigos os conflitos étnicos que ocorrem na África, tão vasta em cultura e tão pouco explorada no cinema. Ainda aborda o descaso das autoridades de outros países com as mortes que ocorrem nesse continente. Realidade cruel e atual, muitas vezes ignorada. Para assistir online, clique aqui. *Disponível no Netflix

2. De Olhos bem Fechados (1999)
(drama, mistério, romance)


O último e mais ousado filme de Stanley Kubrick são muitas coisas. É uma constrangedora jornada psicossexual. Uma assustadora alucinação. Um grande marco nas carreiras dos astros Tom Cruise e Nicole Kidman. É um "valoroso capítulo final para a carreira de um grande diretor" Cruise interpreta o doutor William Harford, que é jogado numa aventura erótica que ameaça a seu casamento - e envolvendo-o em um misterioso caso de assassinato - depois que sua esposa admite ter desejos sexuais por outra pessoa. Como a história a caminha entre dúvidas e medo, auto-descobrimento e reconciliação, Kubrick conduz tudo isso com imagens surpreendentes. São características brilhantes que fazem de Kubrick um cineasta inigualável que, nesta obra, manterá todos os olhos bem abertos.


Eu procrastinei bastante para assistir esse filme, por ele ter quase três horas de duração - mas numa noite de tédio acabei me deparando com ele no Tele Cine e parei para assistir. Por já ter ouvido falar bastante sobre, acabei criando muita expectativa, que não foi frustrada mas posso dizer que esperava um pouquinho mais. É um filme que mexe com a nossa cabeça, é complexo, deixa partes abertas à interpretação. Tem um ritmo arrastado que pode entediar quem não gosta de filmes mais lentos. Apesar disso, tem uma atmosfera de suspense que me prendeu desde o início, e não me cansou em nenhum momento, mesmo sendo longo (e tendo o chato do Tom Cruise :p). Para assistir online, clique aqui

3. Shaun: O Carneiro - O Filme (2015)
(animação, aventura)


O carneiro Shaun é o líder de seu rebanho. Ele decide tirar um dia de folga com seus amigos para se divertir. Mas as coisas saem de controle e o rebanho vai parar numa cidade grande e caótica. O grupo se mete em muitas confusões e Shaun ainda precisa guiar todo seu rebanho, em segurança, de volta para a fazenda.


É bem difícil eu recomendar animações aqui no blog, porquê não sou fã do gênero, e as poucas que trouxe para cá eram "mais adultas", mas eu era apaixonada pelo desenho do Shaun O Carneiro na infância e adolescência e fiquei muito afim de assistir o filme. E adorei! Ele captou muito bem a essência do desenho, é incrível o tanto que uma animação sem diálogos como é o caso dessa pode ser criativa e prender o espectador. Eu gostei muito, é o tipo de filme perfeito para um momento de preguiça, sem pretensão de assistir nada complexo, e também uma ótima escolha "para tirar a bad", hahaha. Impossível não ficar feliz depois de assisti-lo. Para assistir online, clique aqui


E é isso! Espero que vocês tenham gostado das indicações de hoje, me contem aí nos comentários se vão ver algum ^^

Resenha: Batom Verde Color Make


Na resenha do Batom Azul da Hator, lá no finalzinho, comentei que a única cor que faltava entre meus batons era o verde - e depois disso tratei de procurar um verdinho barato pra trazer pra casa. Encontrei esse verde escuro lindão da marca Color Make que já havia me surpreendido com seu batom preto (meu preferido) e comprei ele. Usei algumas vezes e hoje vim comentar sobre os pontos mais importantes. 

A embalagem é a da linha tradicional da Color Make, predominantemente preta com detalhes em cinza/prata. Não é a embalagem mais segura possível, é frágil, mas não é daquele tipo que depois de um tempo nem fecha mais (leia-se: embalagens antigas da Vult). 


Ele é bastante pigmentado, na primeira camada a cor já fecha sem falhas - assim como o batom preto da marca. O acabamento dele é semi matte, ou seja, muito confortável nos lábios e bem fosco, pode usar sem medo de borrar/escorrer. Transfere um pouco, mas nada que atrapalhe em algo. Sobre a durabilidade, excelente como os outros pontos. Sem comer, só bebendo, ele dura pelo menos 5h. Ao comer ele sai no centro dos lábios, o que é normal com a maioria dos batons. 

Tem um cheiro bem leve e agradável. 


E aqui o lindão nos lábios. A cor muda conforme a luz e é difícil capturá-la fielmente, acredito que fique um pouquinho mais escura que isso pessoalmente. É um verde esmeralda, né? Um tom lindo. 


Na foto de rosto a cor fica mais fiel :) É um tom de verde muito bonito, escuro mas que não deixa dúvidas sobre sua cor real. Achei ele até ~discreto~ por ser um batom mais escuro. 

A marca Color Make é de maquiagens artísticas, ou seja, é provável que você encontre para comprar com mais facilidade em lojas de artigos para fantasia, festas ou onde venda make artística mesmo. Encontrei numa dessas lojinhas na minha cidade e paguei R$10. É possível comprar online também, no Mercado Livre existem vários vendedores com essa cor e outras da marca. 

Sei que verde não é a cor mais usual de batom do mundo, mas pra quem é apaixonada por maquiagem é impossível se contentar só com o "comum". Cores são só cores e a gente precisa se permitir mais :)) 

ps. Achei que estaria satisfeita com as cores que tenho depois do verde, mas desenvolvi um desejo enorme por batons cinza :((( Acho que falta mais uma cor na coleção, né? HUAHUHAHUA

E vocês, gostaram do batom? Já conheciam essa marca? Me contem aí nos comentários ^^

Parceria: Eliz Store


Oi gente! Na semana passada o correio me trouxe uma caixinha muito esperada: com os três acessórios lindíssimos que escolhi na Eliz Store, uma loja online repleta de acessórios incríveis, artesanais e pelo que vi nesses três, com qualidade. Eu particularmente adoro acessórios com pedras, e é possível encontrar vários desse tipo na loja. 

Com tanta coisa bonita, foi até difícil escolher apenas três - mas me apaixonei pelos que mostro nesse post. Não costumo usar brincos com frequência e geralmente eles não me chamam muito a atenção, mas achei tão lindo esse preto e prata da loja que não resisti. O anel com pedra ametista foi o meu preferido de todos e é ainda mais bonito pessoalmente do que nas fotos. Para completar o trio, colar com pêndulo de pedra das estrelas - esse me remeteu imediatamente ao livro A Estrada da Noite, rs. 




Os poucos brincos que tenho são com símbolos - cruz, pentagrama ou coisas do tipo. Sentia falta de ter algum que pudesse fazer parte de uma produção um pouco mais formal e gostei muito desse. É discreto ao misturar-se com a cor dos meus cabelos, não é nada pesado e é muito bonito. O link dele no site é esse aqui, custa R$12





O colar de pêndulo tem a correntinha curta e fica ótimo com blusas ou vestidos de decote redondo. É um pingente pequeno mas marcante, e infelizmente não consegui captar nas fotos toda a sua beleza, porque a pedra das estrelas brilha muito na luz, é realmente linda. O link direto dele é esse aqui. Custa R$18,90 e há um modelo de gargantilha preta com o mesmo pingente na loja. 



E por último o anel com pedra ametista <3 Ele é incrível, fiquei completamente apaixonada e tenho usado há todo o momento. Adoro anéis grandes e com pedras e esse figura entre os mais bonitos que tenho. Ele é regulável e custa R$12. O link direto no site é esse aqui

A Eliz Store oferece como opções de envio (além do Sedex e do PAC) a Carta Registrada, que é um meio bem mais barato, e ainda a retirada no metrô de São Paulo (linha cinco lilás). Nas páginas dos produtos é possível calcular seu frete informando apenas o cep de casa. 

A Eliz, dona da loja, ofereceu um cupom de desconto para os leitores do blog. É só digitar CNFAKE7 ao final da compra para obter 7% de desconto - em todos os produtos do site, exceto os que já estão em promoção. 

Para quem quiser saber mais e/ou acompanhar a loja, indico o instagram

E vocês, o que acharam da loja e das peças? Já conheciam a Eliz Store? Me contem nos comentários :))