Filmes Assistidos Recentemente


Oi gente! Peço mil desculpas por não ter atualizado essa tag na semana passada, acabei saindo no feriado e esqueci completamente de fazer o post D: Memória não é meu forte... hahaha Não assisti muita coisa nessas últimas semanas, mas ainda tenho uma grande lista atrasada de indicações. Então vamos à elas: 

1. Os Oito Odiados (2016)
(drama, faroeste, mistério)


Durante uma nevasca, o carrasco John Ruth está transportando uma prisioneira, a famosa Daisy Domergue, que ele espera trocar por grande quantia de dinheiro. No caminho, os viajantes aceitam transportar o caçador de recompensas Marquis Warren, que está de olho em outro tesouro, e o xerife Chris Mannix, prestes a ser empossado em sua cidade. Como as condições climáticas pioram, eles buscam abrigo no Armazém da Minnie, onde quatro outros desconhecidos estão abrigados. Aos poucos, os oito viajantes no local começam a descobrir os segredos sangrentos uns dos outros, levando a um inevitável confronto entre eles.


No início do ano todo mundo surtou pelo lançamento do último filme do Tarantino, até eu que não me considero fã do diretor (apesar de gostar muito de alguns filmes) fiquei ansiosa para assistir. Fui no cinema ver, para vocês entenderem o quão atrasada estou nas indicações de filmes kk. É um filme bem longo, três horas de duração, mas apesar do desconforto físico (cinema não é nossa casa, né) de ficar todo esse tempo por lá, o filme não é em nada arrastado ou cansativo, muito pelo contrário. Apesar de não ter muita ação, o filme prende pela fotografia lindíssima, pelas atuações e pelos diálogos sensacionais. O final (e a resolução da história) é aguardada de forma bastante impaciente, e quando finalmente chega, percebemos porquê o diretor é tão genial. De qualquer forma, Django Livre sempre será meu Tarantino preferido :p haha Para assistir online, clique aqui

2. Veludo Azul (1986)
(drama, mistério, policial)


Um rapaz simplório envolve-se em uma perigosa investigação sobre os negócios de um traficante de drogas, que mantém uma relação sadomasoquista com uma bela cantora de cabaré.


Esse é um filme que demorei séculos para assistir, mas queria há tempos e por conta disso acabei criando uma expectativa muito grande em cima da obra, que é excelente, mas um pouco massante em alguns pontos. O roteiro é ótimo e realmente fiquei curiosa para assistir e compreender todos os assuntos abordados. O começo do filme é bem morno mas logo depois adquire um ritmo ótimo, que prende o telespectador e nos deixa ansiosos para o final - ótimo, também. Apesar de tudo, não foi uma obra que me marcou muito, mas é um filme bem interessante. Para assistir online, clique aqui. Disponível no Netflix.

3. Bent (1997)


Na Alemanha nazista, no período que antecedeu a guerra, Max, um gay, é enviado para o campo de concentração de Dachau. Ele tenta esconder sua homossexualidade usando uma estrela amarela, que era a forma de identificar judeus, em vez do triângulo rosa usado para "marcar" os homossexuais. No campo se apaixona por Horst, um prisioneiro homossexual que usa com orgulho seu triângulo rosa.


Sempre tive muita curiosidade de saber como foi a vivência homossexual nos campos de concentração - todos sabemos que o Holocausto foi absurdo, cruel, desumano e tudo o que ele representa na nossa história, mas há pouco material sobre esse grupo em específico. Até que conheci o filme Bent e de cara me interessei pela temática. É um filme sensível, triste, com alguns erros grotescos no roteiro que qualquer pessoa com o mínimo de conhecimento sobre os campos de concentração achará absurdo, mas dá pra relevar pela beleza da história, mesmo que fictícia e absolutamente irreal. O final do filme, ao meu ver, deixou um pouco a desejar - mas nada que tire o mérito da obra pela coragem em abordar esse tema. Para assistir online, clique aqui. Disponível no Netflix


E por hoje é isso :D Gostaram das indicações de filmes? Já assistiram algum ou ficaram afim de assistir? Me contem nos comentários ^^ 

Neko Atsume - o jogo de gatinhos mais amor do universo


Eu demorei para fazer post sobre Neko Atsume porque estive absorvida por esse jogo durante muitos meses - o jogo consiste em nada mais, nada menos, que colecionar gatinhos. Sim! Em Neko Atsume, você coloca comida e brinquedos no seu quintal e simplesmente espera os gatinhos virem brincar, comer, e retribuir deixando peixinhos dourados ou prateados (a moeda do jogo, utilizada, claro, para comprar mais comida e brinquedos).

Não é um jogo interativo, então tudo o que nos resta é admirar e morrer de amores pela fofura dos gatos. Parece chato, mas eu JURO que não é. No instante em que você abre Neko Atsume pela primeira vez você automaticamente se apaixonará - e será uma louca dos gatos mais realizada. 


Atualmente Neko só possui a versão japa original e em inglês, mas calma que você não precisa dominar o idioma para conseguir jogar. É totalmente intuitivo e muito fácil. Logo ao entrar, clicando na patinha do canto superior esquerdo, abrirão algumas opções. Em Shop você compra comida e brinquedos com os peixinhos dourados e prateados, em Goodies você administra os brinquedos que já comprou e no Catbook você visualiza os gatinhos que já lhe visitaram. Clicando em cada um abrirá um mini perfil, com informações sobre a personalidade do gato, força, quantidade de vezes em que ele te visitou, top 3 de seus brinquedos preferidos, e o ponto de interrogação posteriormente será preenchido com a imagem de um presentinho que ele te dará - os chamados Mementos

Depois de algumas visitas (quantidade aleatória, varia de gato para gato) eles deixam uma lembrancinha para você, que pode ser um inseto, um pincel ou qualquer coisa. Não há nenhuma interação disponível com os Mementos, eles só ficam lá para mostrar o quanto o gatinho te ama, hahaha. 


Na primeira imagem, peixinhos que os gatos deixaram após a visita. A quantidade é aleatória e a cor do peixe também, alguns gatos são mais avarentos e outros mais generosos rs. Na segunda, um memento - deixado pelo gatinho Speckles. Todos os gatinhos tem nomes, mas você pode modificar o nome deles e personalizá-los conforme seu gosto, é só clicar no nome deles em suas páginas do Catbook. Na terceira imagem, alguns Goodies que possuo. 


Esse é o cenário básico do jogo - na verdade, logo ao iniciar você só terá a parte esquerda do quintal. Para expandir seu quintal é necessário desembolsar 180 peixinhos dourados, e a expansão é o último item no Shop. Portanto, economize nos douradinhos :D 

As vezes neva em Neko Atsume, a música de fundo muda e o jogo fica ainda mais fofinho, com direito até a um coelhinho de neve de decoração.  


Você também pode modificar seu cenário, após expandi-lo. Para isso é necessário desembolsar mais alguns peixinhos dourados. Atualmente existem seis estilos de cenários, chamados de remodelagens, e você pode vê-los clicando em Menu>Other>Remodel. Essa acima é a remodelagem Rustic Style


Aqui temos primeiro o cenário tradicional, no meio o Modern Style e por último o Sugary Style, remodelagem adicionada na última atualização do jogo. 

Existem vários gatinhos diferentes e alguns bem raros, que só vem com um ou dois brinquedos específicos. Na internet tem vários guias de quais brinquedos usar para atraí-los, mas o mais legal é começar jogando sem isso e se surpreender com a visitinha de alguns gatos mais... inusitados. 



Neko Atsume está disponível para Android e iOS. Pode parecer um jogo bobinho (e é, na verdade) mas é realmente apaixonante e difícil será se controlar para não olhar o quintal toda a hora, a procura de novos gatinhos. Eles são tão fofos! 

Vocês já conheciam esse jogo? Gostaram dele? Me contem aí nos comentários <3

OOTD: Black, black and black


Ei gente! Eu literalmente não sei mais que título usar para meus looks aqui no blog, já que ultimamente só tenho usado preto huhauhahua No de hoje usei duas peças que gosto muito: essa blusinha com detalhe trançado no colo que chegou há algum tempo da She In e a saia longa basicona, companheira do verão que tenho estendido para essa época fresquinha que tem feito aqui no RS - descobri que saia longa e coturno é uma combinação ultra confortável e prática, não quero usar mais nada na vida hahaha. 

Olhando as fotos percebi que a combinação da blusa com a saia não foi das mais felizes: fiquei sem cintura definida (odeio isso D:) e pareço baixinha nas imagens, ou seja, me achatou bastante. Mas fica de aprendizado, né? Para sair à noite já usei essa blusa com saia de couro sintético e ficou muito bacana, ainda quero testá-la com corselet underbust por cima para ver como fica, quem sabe aparece aqui em breve né ;)






Blusa: She In | Saia: Oasáp | Coturno: Vilela Boots

O batom é o Preto da Color Make (resenhado aqui) e o esmalte é o 40 Graus da Colorama. O anel com pedras vermelhas é do Aliexpress ;)

Adoro que esses looks em preto total com saia longa geralmente acabam ficando com cara de bruxinha - inclusive num post de um projeto super legal sobre Strega Fashion (clique aqui para ler) usei vestido longo preto. Essa saia, apesar de ser bem básica, tem uma transparência bonita uns dois palmos abaixo do joelho. 

Peço desculpas pela má qualidade das imagens, mas achei melhor publicá-las por estar a algum tempo sem atualizar essa tag no blog. 

E vocês, gostaram do look? Costumam usar saia longa? Me contem aí nos comentários ^^  

Receita: Cookies de Banana com Canela | Vegano


Se tem uma coisa que adoro fazer quando há tempo disponível é cozinhar coisinhas gostosas e práticas. Receitas muito mirabolantes ou demoradas não tem vez comigo, perco a paciência com facilidade e aproveito mais quando as comidinhas são feitas de maneira prática e simples. Confesso que gosto mais de receitas salgadas, mas um docinho feito em casa é sempre bem vindo, né? Essa receita de cookies é ultra simples, com poucos ingredientes, e rapidinho as bolachinhas estão prontas para serem devoradas - o melhor de tudo é que não vai nenhum ingrediente de origem animal mas ninguém vai desconfiar disso se você não contar, hahaha. 

Ingredientes: 

2 bananas maduras 
1 xícara (de café) de aveia em flocos
1 colher (de sopa) rasa de óleo 
1 colher (de sopa) de açúcar*
1 colher (de café) bem cheia de fermento em pó
Canela em pó à gosto

*Se as bananas estiverem bem maduras mesmo é garantia de que estão bem docinhas: nesse caso você pode optar por não usar açúcar. Eu usei uma colher rasa de açúcar mascavo, mas você pode optar pelo de sua preferência.


Para começar o preparo, amasse as duas bananas com um garfo. Numa vasilha misture as bananas amassadas com os outros ingredientes. Você pode usar aveia em flocos finos ou grossos, não faz diferença. E se você não é extremamente apaixonado por canela em pó, sugiro não usar muito além de uma colher de café do produto, porquê o gosto é forte e pode acabar se sobressaindo no resultado final. 


Depois de misturar os ingredientes teremos uma massa molinha mas que não esparrama. Pré-aqueça o forno em 180ºC e asse os cookies sobre papel manteiga ou forma untada. Demora cerca de 25min no forno, dependendo da potência. Se você esquecer de pré-aquecer (eu sempre esqueço) vai demorar mais, é normal. Confira de tempos em tempos e retire assim que achar melhor: com a massa mais molinha ou mais duros. Desculpem minha forma totalmente riscada, ela já viveu muitos anos HUAUAHHUA Se achar a massa mole demais, acrescente um pouco mais de aveia em flocos. 


E aqui o resultado. Os meus ficaram de cor mais escura por causa do açúcar mascavo, se você não usar açúcar ou usar o branco ficarão mais clarinhos. Essa receita rende uma porção pequena, geralmente uns oito cookies de tamanho médio. Se quiser mais biscoitinhos, dobre a receita. 

Adoro esses cookies porquê grande parte dos ingredientes sempre tenho em casa, é super prático e rápido de fazer, o sabor é suave (ótimo para comer enquanto tomamos chá ou café :D) e é bem mais saudável que bolachinhas industrializadas. Se você gosta de banana é impossível não gostar desses cookies! 

Você também pode acrescentar uvas passas ou  pedacinhos de chocolate amargo por cima da massa: o primeiro eu não gosto, mas já fiz com o segundo e fica divino :)

E vocês, curtiram a receitinha? Vão fazer? Me contem nos comentários <3 

Filmes Assistidos Recentemente


Oi gente! Essa semana eu assisti pouquíssimos filmes, reflexo da falta de internet rs. Na TV acabo assistindo pouquíssima coisa, e é incrível como assisto mais filmes já vistos do que novas obras - acabei vendo Frankenstein (de 1931) no Telecine uma madrugada dessas, um filme ótimo que adoro mas já vi várias vezes, huhauhah. Enfim, o saldo das três indicações de hoje não é o melhor dessa tag aqui do blog, mas a indicação continua sendo válida. Espero que vocês gostem ^^

1. A Garota Dinamarquesa
(drama, biografia)


The Danish Girl é baseado no livro homônimo de David Ebershoff e mostrará a história de amor real entre as pintoras dinamarquesas Lili Elbe e Gerda Gottlieb. Obrigada a viver como Einar Wegener desde o nascimento, em 1930, Lili foi uma das primeiras mulheres a passar por uma cirurgia de transgenitalização.


A Garota Dinamarquesa foi um filme muito aguardado por mim e creio que por muita gente. Pelas altas expectativas, acabei me frustrando um pouco ao assisti-lo. O filme é esteticamente perfeito - uma fotografia deslumbrante, assim como os figurinos e cenários, mas o roteiro peca pela simplicidade sobretudo dos diálogos (muito rasos na maior parte do filme) e romantização excessiva. Apesar de ter sido indicado ao Oscar, não achei a atuação do Eddie memorável - Lili é uma personagem muito estereotipada e os trejeitos de Eddie contribuíram muito para isso. Apesar de achar o roteiro problemático em diversos pontos (e ter, inclusive, se afastado bastante dos fatos reais), ainda é um filme bonito, emocionante em alguns momentos e uma boa ferramenta de visibilidade para a questão da transexualidade. Para assistir online, clique aqui

2. Dente Canino
 (drama)


Dente Canino conta a história de uma família que tem três filhos e moram em uma casa isolada no subúrbio. Em volta dessa casa há uma cerca muito alta, que as crianças nunca passaram. Ou seja, os filhos do casal nunca tiveram nenhum contato com mundo exterior. Quem cria, educa e ensina todo para as crianças são os pais, porém, excluindo toda e qualquer influência do mundo lá fora. A situação piora quando as crianças começam a fazer questionamentos que não fazem mais sentido no mundo em eles vivem.


Dente Canino é um ótimo filme sob a perspectiva comportamental, antropológica. É uma obra bastante crua, impactante e perturbadora na maior parte do tempo, que busca mostrar os efeitos da criação "sem interferência" da sociedade, numa fuga à realidade. Infelizmente a execução do filme deixa um pouco a desejar, mas a proposta é realmente genial. Evoca tantos questionamentos que é impossível tirá-lo da mente após assistir. A própria história que explica o nome do filme no decorrer da obra é muito interessante. Mas é realmente muito perturbador em diversas cenas rs. Para assistir online, clique aqui

3. Tempo de Despertar 
(drama)


Bronx, 1969. Malcolm Sayer é um neurologista que conseguiu emprego em um hospital psiquiátrico. Lá ele encontra vários pacientes que aparentemente estão catatônicos, mas Sayer sente que eles estão só “adormecidos” e que se forem medicados da maneira certa poderão ser despertados. Assim pesquisa bem o assunto e chega à conclusão de que a L-DOPA, uma nova droga que já estava sendo usada para pacientes com o Mal de Parkinson, deve ser o medicamento ideal para este casos. No entanto, ao levar o assunto para o diretor, ele autoriza que apenas um paciente seja submetido ao tratamento.


Tempo de Despertar é um filme bem conhecido dos anos noventa, recebi a indicação dele de um professor do ensino médio e finalmente o assisti. É um filme incrível, sensível, triste, com uma mensagem bonita incutida na obra. É daquele tipo de filme que é impossível não gostar. A atuação do Robert De Niro é um ponto alto, mas o roteiro em si já faz todo o trabalho. É baseado em fatos reais e já se tornou um clássico. Para assistir online, clique aqui. Disponível no Netflix.


E por hoje é isso :D Já assistiram algum desses filmes? O que acharam das indicações? Me contem aí nos comentários ^^

OOTD: Lua


Oi gente! Ainda estou sem internet em casa, mas consegui programar algumas postagens para o blog não ficar desatualizado - infelizmente ainda não consigo responder os comentários nem atualizar as redes sociais como gostaria, mas pelo menos algum conteúdo vai rolar por aqui durante a semana. 

Esse outfit eu fotografei no sábado, a semana passada foi de muita chuva por aqui e finalmente as temperaturas caíram um pouco, ainda está quente, mas pelo menos a sensação térmica não é mais a de estar dentro de um forno. Aproveitei esse tempo para usar bastante preto, claro, e usar alguns casaquinhos finos que estavam esquecidos no armário. 

Aproveitei para usar essa regata com estampa de lua que é linda e não aparecia por aqui há algum tempo, combinei com a saia preta básica, coturnos e cardigã cinza longo. Gostei bastante da produção, confortável, dentro da minha ~zona de conforto~ e bonitinha para passear de tarde. É incrível como as temperaturas mais agradáveis me dão mais ânimo, no calor infernal que estava fazendo eu não tinha a mínima vontade de me arrumar, maquiar, etc. E com o tempo mais fresco que fez durante a semana aproveitei para usar mais acessórios (essas correntes, por exemplo, me dão muita agonia quando está muito quente e não consigo usar) e para me maquiar mais sem medo do rosto derreter, HUAHUHAUAH.






Regata: Front Row Shop | Saia: She In | Coturno: Vilela Boots

O batom é o Azul da Hator (resenhado aqui) e o esmalte lindão é o Corre pro Abraço da Colorama, um roxo azulado (ou seria azul arroxeado? rs) e metalizado que amei demais. 

O colar duplo com cristal e pentagrama é da Dark Paradise e achei que casou perfeitamente com a blusa. Ele era triplo, mas acabei removendo um dos pingentes e tenho usado mais assim. 

Com esse post percebi que não vejo a hora do inverno chegar e poder usar roupas quentinhas e bonitas <3 huhauhauha Por mim seria inverno o ano inteiro. 

Bom, espero que vocês tenham gostado do post, me contem o que acharam aí nos comentários! ^^ 

Resenha: A Tumba e Outras Histórias, de H.P. Lovecraft


Acredito que quase todo mundo tem um ou alguns livros que comprou e acabou interrompendo a leitura em algum momento - mas está sempre prometendo terminá-la, hahaha. A Tumba e Outras Histórias foi esse tipo de livro para mim: comprei há alguns anos, numa feira do livro em Porto Alegre e acabei não passando das páginas iniciais por achar o livro muito denso. Até que no final de 2015, em minha terceira tentativa, finalmente consegui levar ao cabo a leitura - e adorei! As vezes tudo o que precisamos é dar uma segunda chance para uma obra, talvez um pouco mais velhos ou com uma bagagem cultural maior, para que possamos aproveitá-lo de verdade, sem ler por obrigação ou sem gostar da leitura. 

Esse livro reúne treze contos do autor, divididos entre a fase inicial de seus escritos e sua época mais madura, e quatro fragmentos que não chegaram a virar contos - uma das histórias, inclusive, eu já havia lido anteriormente, O Horror em Red Hook (falei sobre ele aqui). H.P. Lovecraft é considerado um dos maiores escritores de horror, tendo conquistado sua fama apenas após sua morte. Ele começou a escrever muito cedo, e esse livro, inclusive, reúne alguns de seus primeiros contos, escritos ainda na adolescência.

Logo no conto inicial e que dá nome ao livro, A Tumba, compreendemos a razão do status do autor - em treze páginas Lovecraft cria uma atmosfera de profundo mistério e horror, tendo como personagem principal um homem cuja sanidade mental é de caráter duvidoso. Em cada linha deste conto desejamos chegar ao final da história, e quando chegamos, o recebemos como um grato presente. 


O autor é conhecido pelo seu estilo descritivo, o que hoje creio que tenha sido o motivo de tanta demora para ler este livro por completo. Lovrecraft não poupa descrições sobre o ambiente em que as histórias se passam, seus personagens, a personalidade deles, suas roupas, etc. O excesso de descrições não torna a leitura cansativa, os contos são muito rápidos e dinâmicos e esse ponto faz com que possamos imaginá-los com mais clareza. 

Entre meus contos preferidos cito A Tumba, onde o personagem principal e narrador, Jervas, conta sua história de obsessão doentia em relação à tumba da família Hydes, uma tumba abandonada que passa a ser usada por ele como se fosse seu porto seguro. A morbidez do personagem ajuda a criar toda uma atmosfera de terror psicológico sobre o leitor. O segundo dentre os que mais gostei foi Entre as Paredes de Eryx, muito criativo em minha opinião, de ficção científica, sobre um grupo de homens enviados à Vênus para recolher pedras preciosas. Um dos homens acaba caindo em uma armadilha feita pelos protetores das pedras, os homens-lagartos, e definha enquanto tenta encontrar a saída. E para encerrar, destaco também o conto A Fera na Caverna, uma das histórias excelentes escritas durante a adolescência do autor, mostrando seu talento prematuro. Esse conto é sobre um homem que se perde de seu grupo, e apenas com uma tocha na mão se depara com uma fera não identificada dentro de uma caverna. O final é previsível mas espetacular. 


Lovecraft se tornou referência para muitos autores de horror que surgiram após sua morte, com o aclamado Stephen King. A Tumba e Outras Histórias é uma excelente obra para ter um contato inicial com o estilo desse autor, tão particular e icônico.

E vocês, já leram essa coletânea de contos ou alguma obra desse autor? Ficaram com vontade de ler? Me contem nos comentários ^^

TWWD: 1 Peça, 3 Looks


Oi gente! O post de hoje é muito especial por dois motivos: marca o retorno do projeto TWWD, que ficou parado por um tempo, e para quem não lembra, nesse projeto eu e mais cinco blogueiras maravilhosas (<3) postamos looks com a mesma temática, seja o mesmo tipo de peça, ou no caso de hoje, um post de "1 peça, 3 looks" para mostrar que dá pra ser feliz sim repetindo (e muito) nossas peças, até porquê, roupas não são descartáveis, né? AHAHAH :) E o segundo motivo do post de hoje ser especial é que a Sammy, uma das participantes do TWWD, ganhou uma filhinha linda (a Nina) recentemente :3 

A peça que eu escolhi para montar três outfits foi uma saia preta com estampa de poás, com corte em A e cintura alta, bem fácil de usar. Comprei numa feirinha quando fui para Santa Catarina e não tiro mais do corpo, amei essa saia. É o tipo de peça que considero muito a minha cara. Não foi difícil combiná-la em três looks diferentes, mas confesso que não tenho variado muito nas composições por conta do calor - uma regatinha lisa e um creeper, na maior parte do tempo, já são suficientes para mim. Levando em conta a temperatura, montei três looks de verão com essa saia, todos casuais, mas diferentes entre si. Espero que vocês gostem :D 




A primeira produção foi essa - e é a que mais costumo usar. Já usei essa saia com essa regata preta lisa e o sutiã com pentagrama várias vezes, o coturno completa perfeitamente e para o arzinho da noite o kimono preto rendado é ótimo, não esquenta nada e deixa tudo mais charmosinho :) Óbvio que esse é meu preferido porque é o mais trevosinho, né HUAHHUA Apesar de casual e tranquilo para ser usado no dia-a-dia, já usei muito essa roupa para ir em barzinhos ou jantar fora. 





 As fotos desse aqui não ficaram muito legais, peço desculpas, já estava escurecendo quando saí de casa :( Nesse aqui quis fazer algo mais básico mas com detalhes 'fofinhos': troquei a regata preta pela branca, o coturno pelo mocassim marrom e dois acessórios: a bolsa de coruja e o colar longo com camafeu. Pra deixar tudo nessa mesma paleta de cores, um batom marronzinho também :} Apesar desse tipo de roupa não fazer tanto meu estilo, gosto desse flerte com o retrô nos detalhes - e uso bastante esse tipo de roupa para almoços em família ou na casa da sogra, por exemplo. 






E no último look quis fazer algo casual mas estilosinho: usei o colete com nózinho nas pontas como blusa, creeper vinho, batom azul da Natura (resenha aqui) e acessórios mais marcantes, como o anel de cruz, a gargantilha de triquetra e o óculos de sol gatinho. Apesar de não curtir muito esse colete jeans (uso bem pouco) gostei bastante dele nessa produção.

Nas últimas fotos dá pra ver como estão minhas unhas ultimamente: mantive o formato stiletto, mas estão bem mais curtas. Algumas acabaram quebrando na praia e preferi cortar todas, é estranho tê-las menores depois de tanto tempo usando bem compridas, mas me sinto melhor com elas assim, sem medo de quebrar em qualquer movimento brusco huahuha. O esmalte é o Husky da Risqué, aproveitando para usar cores mais claras e coloridinhas, já que esse tipo de cor não combinava tanto com elas super compridas rs. 

Nas férias de verão também decidi parar de estragar meu cabelo com chapinha: faz mais de um mês que não uso, uma marca considerável para quem usava quase todos os dias. Por isso agora vocês terão que se acostumar com meus cabelos onduladinhos mesmo - e eles tem vida própria, as vezes estão mais lisos e as vezes mais ondulados e rebeldes. 


Agora quero que vocês visitem as outras meninas do TWWD para conferir o que elas fizeram no projeto - o mais legal é que cada uma de nós tem um estilo diferente e assim os looks ficam bem variados :3 


E aí, curtiram o projeto? Espero que sim! Me contem qual dos três looks vocês mais gostaram ^^
Ps.: Ainda estou sem internet em casa, então peço desculpas pela falta de interação aqui no blog, mas logo tudo voltará ao normal e responderei com calma todos os comentário. Muito obrigada a todos que visitam o CF <3