OOTD: Yin Yang


Oi gente! :D Esse cropped do outfit de hoje veio no mesmo pacote do corselet que mostrei na semana passada - ambos da Dress Lily - e o pacote não foi taxado. Assim como o corselet, gostei bastante dessa blusinha, que por ser mais casual, provavelmente usarei bem mais rs. O tecido dela é beeem fininho e não esquenta nada, por isso aproveitei para usar no calorão infernal que fez por aqui no fim de semana. A estampa é linda, o acabamento da peça deixa a desejar, mas pelo preço não dava para esperar nada diferente. 

No calorão eu suo só de pensar em usar short - ainda mais se for jeans - por isso as saias tem sido minhas escolhas quase sempre. Gosto muito dessa combinação de bordô com preto e branco. E pra completar a roupa, creeper com spikes. Sei que muita gente não gosta nem de pensar em calçados fechados no verão, mas eu odeio sapatos abertos, quase todos me machucam os pés e não acho confortável para caminhar, por isso raramente uso. E não sinto calor de creeper, sinceramente huhahua 








Cropped: Dress Lily | Saia: Oasáp | Creeper: Lovely Shoes


Bacana a blusa ter a estampa atrás também, né? Eu não havia visto isso no site e foi uma grata surpresa quando chegou aqui em casa. 

A gargantilha de alien na verdade é um pingente que comprei no Aliexpress (mostrei aqui) mas como gosto assim, mais curtinho, comprei elástico em loja de armarinho e troquei. 

O batom é o Amora Matte da Avon (resenha aqui) e o esmalte o La Boheme da Risqué :)

Gostaram do outfit de hoje? Me contem nos comentários ^^ 

Receita: Strogonoff de Palmito com Champignon | Vegetariano


Oi gente! Desde que me tornei vegetariana uma comida que sentia falta e buscava adaptações era o Strogonoff. Era uma das minhas comidas preferidas e é super simples de fazer, então fui atrás de substitutos para o creme de leite de vaca e a carne da receita tradicional. Cheguei nessa aqui que é só amor, por não ser igual, claro, nunca é, mas que surpreendeu meu paladar positivamente e é fácil e rápida de fazer. Vou falar sobre os ingredientes que utilizei e o modo que preparei o meu, mas tudo é adaptável - há quem faça com proteína de soja ao invés do champignon e do palmito, e até berinjela. 

Pra começar, busquei um substituto para o creme de leite de vaca, sou ovolacto-vegetariana (não como carne, ovos ou leite em espécie, mas ainda como alguns derivados de leite) mas sempre que posso procuro fazer minhas refeições sem nada de origem animal, e esta aqui é vegetariana estrita. Pedi dicas de substitutos no grupo Veganismo Popular do facebook, que inclusive recomendo muito porque tem ótimas dicas de receitas fáceis, rápidas, baratas e sem nada de origem animal. Muita gente me respondeu e acabei seguindo a dica que julguei mais fácil, a do leite de aveia. 

A coisa é tão ridícula de fácil que nem precisava explicar, mas enfim hahahaha 

Para fazer o leite de aveia, vocês vão precisar de 

- 1 xícara de aveia em flocos 
- 2 xícaras de água mineral
- Sal ou Açúcar (dependendo da receita, como essa era salgada coloquei duas colheres de chá de sal)

É só colocar os três ingredientes no liquidificador, sem bater, e deixar lá "descansando" por pelo menos trinta minutos. Depois é só bater, coar e tá pronto. Reservei e comecei a preparar a receita. 

Ingredientes: 

- Cebola picada
- Tomate picado
- Molho de tomate
- Milho
- Champignon
- Palmito
- Água


Numa panela com um pouco de azeite, fritei a cebola e depois o tomate e o milho. Depois acrescentei o molho, a água, o palmito e o champignon. Temperei com sal. Vai ficar um molho de tomate normal, assim que pronto, adicionei o leite de aveia anteriormente reservado. E pronto :)

Esse leite de aveia quando cozido engrossa e fica um creme parecido com a textura do creme de leite tradicional. Algumas pessoas adicionam maizena para engrossá-lo, mas honestamente não é nenhum pouco necessário. Meu strogonoff ficou bem grossinho, cremoso e delicioso ;) 


E pra acompanhá-lo, claro, arroz e batata palha - não pode faltar, né? A receita é bem rápida e fácil de fazer e garanto que fica muito gostosa, mesmo para quem não é vegetariano. 

Gostaram? Pretendem fazer? Me contem nos comentários ^^

Filmes Assistidos Recentemente


Oi gente! Essa semana eu não assisti muita coisa de filme, uma pena, porque quero assistir alguns que vão concorrer ao Oscar, mas tenho muitos filmes acumulados para indicar aqui ainda rs. Acho que é a primeira vez desde o início dessa tag que acumulo tantos filmes, aliás hahaha Os de hoje são bem diferentes entre si, os dois primeiros uma unanimidade de opiniões positivas e o terceiro nem tanto, mas eu gostei rs. 

1. A Vida é Bela
(drama, comédia, romance)


Na Itália dos anos 40, Guido é levado para um campo de concentração nazista e tem que usar sua imaginação para fazer seu pequeno filho acreditar que estão participando de uma grande brincadeira, com o intuito de protegê-lo do terror e da violência que os cercam.


Eu já conhecia esse filme há bastante tempo, sempre ouvi falar muito bem dele, inclusive é um filme de nota bem alta no filmow (4.5/5) e finalmente assisti - e realmente ele é tudo o que dizem mesmo. A história é muito bonita e emocionante, e contada de forma inimaginável. Incrível com o humor consegue se misturar ao drama, mesmo tendo como cenário um campo de concentração nazista. As atuações são muito boas. O filme é dividido em duas partes, o que o torna um pouco longo demais e por isso cansativo, mas vale a pena, o filme é ótimo, sensível e emocionante. Para assistir online, clique aqui. Disponível no Netflix

2. Tese Sobre um Homicídio
(policial, suspense)


Roberto Bermudez, um especialista em direito criminal, alterou sua vida quando ele se convence de que Gonzalo, um de seus melhores alunos, foi o autor de um assassinato brutal na frente da Faculdade de Direito. Determinado a descobrir a verdade sobre o crime, toma uma investigação pessoal, que em breve se tornar uma obsessão pra descobrir a verdade.


Esse é um filme argentino com o grande Ricardo Darín, um ator incrível que protagoniza outros dois filmes que gosto muito - O Segredo dos teus Olhos e Um Conto Chinês (além da participação em Relatos Selvagens - todos excelentes filmes) Pelo enredo policial semelhante ao primeiro e pela atuação do Darín, não precisei de mais nada para querer assistir esse aqui. O filme é muito bom, é daquele tipo de obra que dá um nó na cabeça - afinal de contas, o filme trata de teses, esperar uma conclusão fechada sobre a trama é a forma mais fácil de se frustrar com o filme. Não é melhor que os dois outros anteriormente citados, mas é um filme bom, que prende o telespectador desde o início. Para assistir online, clique aqui. Disponível no Netflix

3. A Teacher
(drama)


Diana, uma professora do ensino médio, percebe que um de seus alunos, Eric, está flertando com ela. A primeira estratégia é ignorá-lo, mas aos poucos Diana começa a se sentir atraída por Eric. Ela cede à tentação e sai com o garoto, diversas vezes, dando início a uma relação secreta. Enquanto tenta esconder o caso em seu local de trabalho, a professora pensa como terminar o relacionamento de uma vez por todas. Será que os outros já sabem? E se já tiverem provas? Diana torna-se paranóica, amedrontada e cada vez mais dependente desta nova paixão.


Eu conheci esse filme fuçando no catálogo do Netflix - na sessão de drama, minha preferida. Gostei da sinopse e procurei pelo título no filmow, e aí me espantei com a nota baixíssima - 2/5. Não tenho muita paciência para filmes ruins e geralmente concordo com as notas dos filmes, mas quis assistir mesmo assim. A trama é batidinha, não tem nada de muito original, é um filme de ritmo lento e arrastado, apesar de ser curtinho, mas ao meu ver cumpre sua função - a de retratar uma conturbada relação entre uma professora e um aluno. É superficial, sim, mas não é tão ruim quanto a nota sugere. Eu particularmente gosto de filmes simples com ritmo lento... mas sei que muitos não gostam, e talvez por isso a frustração das pessoas em relação à essa obra. Para assistir online, clique aqui. Disponível no Netflix. 


E essa semana é isso, gente :D Gostaram das indicações? Já viram algum desses filmes? Me contem aí nos comentários ^^

OOTD: Corselet de Poás


Oi gente! Voltei da praia nesse final de semana e para minha alegria e surpresa, havia chegado um pacote da Dress Lily na minha casa com esse corselet lindíssimo que já havia encomendado há um certo tempo e estava ansiosa para que chegasse. A peça apesar de simples é muito bonita. Eu, que sou apaixonada tanto por corsets/corselets quanto por estampa de poás não podia amar mais, né? Esse é meu terceiro corselet e sinceramente não é uma peça que uso tanto para justificar a quantidade, mas gosto de tê-las para usar à noite em lugares que eu queira me arrumar mais. É o tipo de peça que não tem muito mistério, qualquer coisa combinada à ela vai ficar legal - e para o outfit de hoje, escolhi uma saia preta básica, com cintura alta e levemente rodada. Na minha opinião esse tipo de saia contrasta um pouco com a possível conotação sensual dos corsets, e acaba criando um visual mais equilibrado do que poderia ser, por exemplo, se eu usasse uma saia justa - mas também amo essa opção, haha. 

Eu tenho um apresso muito grande pela estética retrô, sobretudo da década de cinquenta. E é incrível como sempre resgato essa paixão e essas referências quando as temperaturas sobem - no frio não é possível enxergá-las em mim, a não ser, talvez, em meu corte de cabelo. Na minha opinião, toda mulher deveria ter o prazer de vestir um corset pelo menos uma vez na vida - é incrível o que essa peça faz com o nosso corpo e a nossa autoestima :p Nas fotos do post não dá para ver tão bem o quanto esse aqui modela a cintura, mesmo tendo barbatanas de silicone, mas publiquei uma foto no instagram que dá pra ver melhor esse ponto. 










Corselet: Dress Lily | Saia: Oasáp | Creeper: Chicwish 
O corselet na parte de trás tem um protetor para as costas, porque machuca um pouquinho usá-lo assim, com as fitas direto na pele - mas achei mais bonito fazer as fotos sem ele. A gargantilha é do Aliexpress e a presilha de esqueleto (cujas manchas vermelhas foram feitas com esmalte por mim, rs) é da Cute Shop

O batom lindão é meu vermelho preferido, o lápis da Panvel que custa seis dilmas e nunca me decepciona :D 

Resgatei esse creeper bordô do fundo do armário - fazia um tempão que ele não dava as caras por aqui. Como gosto das coisas ~combinadinhas, quis deixar tudo em preto, branco e vermelho/vinho - apesar do corselet ser de um bege clarinho. Sei que muita gente não curte esses outfits mais "estereotipados", principalmente quando se trata de inspiração retrô, mas eu curto muito aproveitar essa vibe quando estou nela. Afinal de contas, sou feliz por viver no século XXI mas é inegável a força da estética de décadas passadas. 

E vocês, o que acharam do post de hoje? Comentem, vou ficar feliz de ler as opiniões de vocês :D 

Resenha: Senhor e Servo e outras histórias, de Leon Tolstói


Tolstói sempre foi um escritor do qual ouvia só elogios a respeito - mas nunca havia lido nada dele até então. Essa edição de Senhor e Servo & outras histórias comprei na Feira do Livro do ano passado. É um livro relativamente curto, com 128 páginas, mas apesar de adorar os livros da l&pm, a letra muito miúda sempre me incomoda um pouco e faz minha leitura demorar mais. 

Sempre vi debates acalorados sobre a qualidade literária de Tolstói vs. Dostoiévki, por ambos serem autores russos de renome. Como considero Dostoiévski um de meus autores preferidos, sempre tive muita curiosidade para ler Tolstói também. 

São três contos nessa edição: Senhor e Servo, O prisioneiro do Cáucaso e Deus Vê a Verdade, mas Custa a Revelar

Os três foram fantásticos para mim, e a leitura muito prazerosa. No conto "Senhor e Servo" conhecemos dois homens de meia-idade em lados opostos das castas sociais: o senhor Vassili Andréitch, ganancioso e avarento, é um dos maiores proprietários de terras da aldeia. Seu servo, Nikita o acompanha numa viagem com o intuito de comprar uma floresta. Mesmo com a possibilidade de ocorrer uma tempestade de neve, Andréitch não quis adiar seus negócios e os dois seguiram a viagem e acabaram se perdendo no caminho, durante a noite e o nevoeiro. É nesse cenário que Tolstói mostra as diferenças entre um homem detentor do poder e outro que foi criado a vida inteira sem ter o direito à sua própria opinião, estando sempre disposto a fazer as vontades de seu senhor. Os personagens desse conto lidam com a perspectiva real e iminente da morte. Apesar de curto, o conto é bastante descritivo e conta com algumas reviravoltas. Instiga a reflexão sobre as relações de poder dentro da sociedade, algo descrito em 1895, mas sempre tão atual. Simplesmente fascinante o estilo de escrita de Tolstói, esse foi meu conto preferido do livro. 

Em "O Prisioneiro do Cáucaso" temos uma narrativa repleta de ação e uma prosa mais simples. O nobre Jílian servia no Cáucaso como oficial, em plena guerra, quando recebeu uma carta de casa, de sua mãe a beira da morte. Juntamente com um amigo, Jílian obtém licença para visitar sua mãe e os dois partem, mas logo no início da viagem são capturados por Tártaros, que os obrigam a escrever uma carta para casa, exigindo dinheiro em troca da soltura. Jílian, que não queria causar problemas a mãe doente e sem dinheiro, coloca um endereço errado propositalmente, e assim seu resgate nunca chega. Dia após dia, ele planeja fugir dos sequestradores Tártaros. Essa narrativa é tão interessante e cheia de acontecimentos que é difícil crer que são apenas trinta e cinco páginas de leitura. 

O terceiro e último conto "Deus Vê a Verdade, mas Custa a Revelar" foi o que menos gostei, mas ainda assim é um bom conto. É a história de um jovem comerciante que, durante uma viagem, fora acusado da morte de um colega de quarto, cuja arma do crime fora colocada por alguém entre seus pertences. Antes de partir, sua esposa o alertara de que estava com um mal pressentimento. Condenado, ele passou mais de vinte anos na prisão. O final da história é bem interessante, inclusive esse conto me remeteu um pouco ao filme "Um Sonho de Liberdade". 


Aqui a contra-capa do livro. Acredito que tenha sido uma ótima forma de iniciar o contato com as obras deste autor. Os contos são curtos porém densos e mostram o estilo e toda a genialidade do escritor russo. Tenho muito interesse em ler outras obras dele, principalmente Anna Karenina

Clássicos são clássicos e é imprescindível que todo mundo conheça pelo menos um pouco. A leitura de Tolstói é muito prazerosa e interessante, recomendo muito. 

E vocês, já conheciam esse livro? Ficaram com vontade de ler? Me contem nos comentários ^^

Filmes Assistidos Recentemente


Oi gente! Eu tenho assistido tantos filmes nessas férias que até atualizar tudo aqui no blog vai demorar muito, os filmes que indico hoje já vi faz um tempinho rs. Os três são muito bons e tem temáticas bem interessantes, cada um com suas particularidades. Espero que gostem e que possam assistir algum ^^

1. Confiar
(drama, thriller)


Na trama, dois pais superprotetores não conseguem impedir que uma de suas filhas, Annie, seja vítima de abusos de um rapaz que conhece na web.


Esse filme uma professora minha indicou em aula, pela temática relacionada a adolescência, pedofilia, abuso, tudo ajudado pelas mídias virtuais. É um filme bem triste e pesado, mas realista e importante para conscientizar. Apesar do roteiro ligeiramente simples, consegue abordar várias questões diferentes, inclusive a Síndrome de Estocolmo - que é o que ocorre quando a pessoa vítima de abuso acaba criando laços com seu abusador, impedindo que esta enxergue o abuso que vivencia e possa dar um basta nisso. É um filme bem interessante e que consegue envolver com seu clima. Para quem for assistir, não deixem de ver a cena pós-créditos. O final é incrível. Para assistir online, clique aqui

2. Além da Fronteira
(drama, romance)


Nimer, um estudante palestino, e Roy, um advogado israelense, apaixonam-se desde a primeira vez em que se encontram. À medida em que a relação dos dois se desenvolve, Nimer tem que lidar com sua família conservadora e com sua condição de palestino morando em Israel. A situação piora quando um amigo próximo é capturado em Tel Aviv e assassinado na Cisjordânia.


A história complicada desse filme fez com eu adiasse assisti-lo por muito tempo, até que o fiz. É um drama muito interessante sobre a questão Israel-Palestina, o conservadorismo e a demonização da homossexualidade, além do choque cultural entre dois lugares tão próximos mas tão diferentes em suas culturas. Apesar disso, o filme é um pouco brando demais, muito romantizado na maior parte do tempo, tornando-o até um pouco fantasioso, com poucas cenas fortes que abrandam isso. Levanta mais questões do que responde, peca um pouco nas atuações mas ainda assim é um bom filme. Para assistir online, clique aqui. Disponível no Netflix

3. Minha Vida sem Mim 
(drama, romance)


Tendo apenas 23 anos, Ann é mãe de duas garotinhas, Penny e Patsy, e é casada com Don, que constrói piscinas. Ela trabalha todas as noites na limpeza de uma universidade, onde nunca terá condições de estudar, e mora com sua família em um trailer, que fica no quintal da casa da sua mãe. Ann mantém uma distância obrigatória do pai, pois ele há dez anos está na prisão. Após passar mal, Ann descobre que tem câncer nos ovários. A doença alcançou o estômago e logo estará chegando no fígado, assim ela terá no máximo três meses de vida. Sem contar a ninguém seu problema e dizendo que está com anemia, Ann faz uma lista de tudo que sempre quis realizar, mas nunca teve tempo ou oportunidade. Ela começa uma trajetória em busca de seus sonhos, desejos e fantasias, mas imaginando como será a vida sem ela.


 A abordagem sobre doenças terminais no cinema muitas vezes é revestida de dramatização em excesso, lições de vida e clichês - esses, muitas vezes propagados pelo cinema hollywoodiano quase que como um aviso de chore agora, esse filme foi feito para arrancar lágrimas. Minha Vida sem Mim surpreende pela originalidade, pelo distanciamento dos clichês, pelo foco não na doença, mas nos prazeres que tornam a vida tão preciosa. Uma obra extremamente sensível, triste por ser tão verossímil que quase chega a ser palpável. Um lindo filme, que encanta e prende desde a cena inicial - lindíssima, por sinal. Pra quem gosta de bons dramas. Para assistir online, clique aqui. Disponível no Netlix

-

Essa semana eu consegui reproduzir o ritmo de postagens que pretendo manter no blog: três vezes por semana, segunda, quarta e sexta. Se tiverem alguma ressalva quanto à isso, comentem, gosto de saber a opinião de vocês e melhorar no que for possível. Neste domingo estou indo para a praia e volto só na outra semana, então o blog vai ficar sem atualizações nesse meio tempo. Vou aproveitar um pouquinho as férias de verão e desejo que vocês possam fazer isso também. Enquanto isso, quem não respondeu a Pesquisa de Público pode fazê-lo clicando aqui - isso ajuda muito a me nortear no conteúdo publicado. Em breve teremos postagens novas no blog ^^ 

Resenha: Pó Compacto da Dailus


Oi gente! :D Há algum tempo comprei um pó compacto da Dailus que já havia usado anteriormente, e como da primeira vez não resenhei aqui, resolvi fazê-lo. Durante muito tempo usei o pó "porcelana" da Avon, que era ótimo, inclusive, mas quando acabou resolvi procurar outra opção. Acabei comprando um da linha de maquiagens da Panvel (rede de farmácias do Sul) e apesar de barato e de boa qualidade, infelizmente a cor mais clara da linha ficou muito (mas muito mesmo) mais escura que minha pele - fiquei laranja, praticamente hahaha. Depois disso acabei comprando esse aqui da Dailus, tão bom e deu tão certo no meu tom de pele que já estou no segundo. 


A embalagem dele é bem simples, vem com uma esponjinha branca dentro, que não serve para muita coisa pois deixa o pó com aspecto de "pesado" no rosto, é preferível passá-lo com pincel próprio para isso. A embalagem parece frágil, mas já deixei cair e não quebrou. O pó esfarela facilmente, mas nada que atrapalhe. Tem um aroma leve e agradável. 

Essa é a cor 02 da linha, o bege claro (não existe 01, esse é o mais claro). Sempre falo sobre isso por aqui e vou continuar falando, é muito chato que a maioria das marcas não se preocupe em criar uma gama razoável de tons de pele - tanto que tem a pele muito clara quanto as moças negras acabam sendo muito prejudicadas com isso. E claro que é lucro que as marcas estão perdendo, então não é como se isso fosse um favor que eles pudessem fazer por nós rs. 


E aqui ele na pele. Confesso que não uso pó compacto todos os dias - as vezes não uso nada por cima do corretivo, as vezes prefiro o pó translúcido. Mas é inegável que o pó compacto deixa a pele muito mais produzida, adoro o efeito aveludado que o pó deixa na minha pele. Esse da Dailus não fica pesado, mas tem uma cobertura bacana, média. Ele também fica bem seco na pele, e segura bem a maquiagem. 

Paguei R$14 nele e vale o custo x benefício. Assim como já comprei de novo, pretendo continuar usando ele e não trocar por outro. 

E vocês, já testaram esse pó? Conheciam? Me contem aí nos comentários ^^

Playlist da Semana


Ei gente! Essa tag já foi (quase) semanal aqui no blog, mas como não sentia uma grande aceitação dos leitores acabei deixando de lado - só que muita gente comentou na Pesquisa de Público que curtia e eu até me surpreendi, então resolvi dar mais uma chance. Nesse post eu publico geralmente entre cinco e sete músicas que estou ouvindo muito ultimamente. Como faz tempo que não faço esse tipo de post, tem muita coisa "nova" na minha playlist. 

Nos últimos tempos eu tenho ouvido muito pós-punk e meu interesse por metal industrial só cresceu, e pelo flerte com a música eletrônica acabei conhecendo e curtindo algumas bandas de electro-goth também. E que me desculpem os puristas do metal, mas tenho curtido muuuito new metal ultimamente - até eu tinha um certo preconceito com o gênero, confesso, mas fui perdendo. E também, por mais incrível que pareça, desenvolvi um apreço muito grande por um grupo de rap porto-riquenho bem conhecido no mundo todo, mas que por não ser exatamente o meu estilo só conheci em 2015 - o Calle 13. Não consigo parar de ouvir as músicas deles. Enfim, selecionei algumas variadas que tenho ouvido com frequência ultimamente, espero que vocês possam ter o prazer de conhecer algo novo - e espero que gostem, claro hahaha 




Eu preferi trazer as músicas direto do youtube porque adoro assistir os clipes... e adoro os clipes dessas que selecionei (das que tem, claro rs). Mas se vocês acharem melhor só listas simples com as músicas, podem me avisar. Espero que gostem das que selecionei para esse "retorno" haha :p 

Filmes Assistidos Recentemente


Oi gente! Nada melhor que iniciar as publicações do ano com um assunto que amo: cinema. Já fazia um tempinho que não publicava essa tag que a priori é semanal aqui no blog, e peço desculpas por isso. Trago três filmes que gostei muito nessa postagem, com tramas bem diversas mas cada um com seu charme e singularidade. Espero que gostem das indicações ^^

1. Temporário 12
(drama)


O filme é contado através dos olhos de Grace, uma supervisora de vinte e poucos anos de uma instalação adotiva para adolescentes em risco. Dedicada e durona, Grace é uma formidável cuidadora das crianças em sua proteção – e apaixonada por seu namorado de longa data e colega de trabalho, Mason. Mas seu passado difícil – e o futuro surpreendente que de repente se apresenta – a jogam numa confusão imprevista, piorada com a chegada de uma nova admissão na unidade: uma adolescente talentosa mas problemática com quem Grace tem uma conexão carregada. Enquanto o assunto é complexo e muitas vezes obscuro, este filme amorosamente encontra a verdade – e humor – em lugares inesperados.


Começando com este que dos três foi meu preferido, inclusive entrou para a listinha de filmes preferidos da vida e recomendo muito pra vocês. Não tem o roteiro mais original ou surpreendente do mundo, mas consegue abordar várias temáticas sociais delicadas de forma simples e realista. É um filme muito bonito, com seus momentos bem tristes principalmente por formarem paralelos com a realidade, mas que no geral tem uma atmosfera bem leve e otimista. Uma obra bem sensível e delicada, que pelo menos a mim marcou bastante. Para assistir online, clique aqui

2. Ghost World - Aprendendo a Viver
(comédia, drama)


Enid e Rebecca são duas adolescentes recém-saídas do segundo grau que começam a enfrentar as incertezas da existência. Planejam um futuro, cheio de possibilidades, em que serão sempre amigas, mas logo percebem que a realidade da vida adulta é bem diferente do que imaginavam.


Sinceramente nem sei onde achei esse filme, porque creio que não seja muito conhecido. É uma história bem interessante sobre a transição da adolescência para a vida adulta e as mudanças que isso traz consigo. Aborda a questão do não se sentir parte de coisa alguma, da falta de esperança em relação às pessoas e ao futuro. Apesar de ser uma temática bem batida, o filme tem seus pontos altos e é uma dramédia que consegue atrair a atenção de quem o assiste, embora seja um pouco cansativo em certos momentos. Tem vários simbolismos interessantes que acabam tornando a obra mais complexa do que pode parecer a princípio. Indico para quem gosta da temática. Para assistir online, clique aqui

3. Circle 
(suspense, terror)


50 estranhos acordam e se veem presos numa misteriosa e enorme câmara, sem nenhuma lembrança de como chegaram lá. Organizados em um grande círculo e incapaz de se moverem, eles rapidamente descobrem que a cada dois minutos um deles deve morrer, executado por um estranho aparelho no centro da sala. A princípio, os ataques parecem aleatórios, mas logo os estranhos perceber que, como um grupo, têm o poder de decidir quem será o próximo a ser morto. Mas como eles escolhem quem merece morrer? E o que acontecerá quando restar apenas uma pessoa?


Mesmo tendo mais de cem filmes na minha lista de "quero ver" do filmow, as vezes bate a vontade de ver qualquer filme aleatório que eu não tenha conhecimento prévio. E esses dias fuçando no catálogo do Netflix me deparei com esse filme - e a sinopse me chamou a atenção, apesar da nota não ser das melhores (3 de 5). Mas a curiosidade foi mais forte e assisti, e adorei. Realmente me surpreendeu positivamente. É um filme bem filosófico centrado nas relações humanas, em como as pessoas reagem diante de situações extremas. É incrível pra quem se interessa por psicologia. Já para quem assiste esperando uma grande trama com explicações bem convincentes no final vai se decepcionar, porquê não é essa a proposta e nesse quesito ele é um pouco fraco mesmo. Mas pelo desenvolvimento e pela análise do comportamento humano ele vale muito a pena. Além disso, é um filme curto - com menos de 1:30min - e que prende o telespectador naquela atmosfera densa de suspense. Tem um único cenário em quase todo o filme e mesmo assim não é monótono ou cansativo. Para assistir online, clique aqui. Disponível no Netflix


E é isso, gente! Vamos começar 2016 assistindo mais filminhos e descobrindo gostos novos? Espero que vocês tenham curtido as indicações, se tiverem algumas para me dar também, vou adorar - é só deixar nos comentários ^^