Filmes Assistidos Recentemente


Oi gente :D Mais uma sexta chegou e claro, mais um post sobre filmes. Essa semana foi uma correria pra mim, tive muitas provas e trabalhos na faculdade, mas assisti dois filmes no fim de semana e já tinha sobrado um da semana passada, então deu pra fazer o post, haha. Os três de hoje tem média acima de quatro no filmow - o que é bem alto - e são ótimos filmes. 

1. Ben X - A Fase Final 
(drama)


Ben é diferente. Ele se isola no seu próprio mundo, no qual joga avidamente o game ArchLord, treinando assim, para lidar com a realidade que o cerca. O duro cotidiano da escola lhe parece um inferno diário, então Ben arma um plano que pode ser resumido numa única palavra: suicídio. Mas aí Scarlite entra em sua vida, a garota que ele conheceu no jogo - e isso não fazia parte do plano. 


Um filme curtinho e que parece previsível de início, mas que tem várias reviravoltas e um final surpreendente. Consegue tocar em dois assuntos pouco falados ao mesmo tempo: autismo e bullying. É um filme bonitinho, mas que não fica só nisso - é muito, mas muito bom mesmo. Para assistir online, clique aqui

2. Fale com Ela 
(drama)


O filme trata do amor e da amizade a partir da história de dois homens cujas vidas se cruzam no hospital onde estão internadas as mulheres que eles amam. O primeiro é Benigno, o enfermeiro de Alicia, em coma há quatro anos. O outro é Marco, um jornalista que vela por sua amada, a toureira Lydia. 


Nunca vi uma sinopse tão errada em toda a minha vida! Fale com Ela é um filme complicado, difícil, que testa nossos limites. É um filme que passa por vários assuntos, alguns até pouco comentados, como o coma, a eutanásia, mas realmente não é um filme sobre o amor. Almodóvar é um diretor cujos filmes sempre provocam um turbilhão de sensações e emoções, é dele um dos meus filmes preferidos, A Pele que Habito, mas outros me causam tamanha estranheza que ao fim não consigo dizer se gostei ou não - mas é impossível se manter impassível frente à eles. Fale com Ela é um filme que explora bastante as obsessões humanas, tem fotografia e trilha sonora bacana e merece ser visto. Para assistir online, clique aqui

3. Desconectados


Esse drama mostra várias histórias, tendo em comum os efeitos perversos do uso excessivo de tecnologia, internet e celular. A vida de um casal entra em perigo quando sua vida privada é exposta online, um antigo policial descobre que seu filho humilha um garoto da escola pela internet, um advogado obcecado pelo telefone não consegue se comunicar com a própria família e uma jornalista vê sua vida se transformar quando ela pesquisa a história de um adolescente que faz atuações eróticas pela webcam. 


Esse filme eu conheci pelas indicações da Jéssica e gostei muito! Não é um filme pra tentar fazer você esquecer a tecnologia e viver abraçando as árvores, mas é um filme que retrata facetas da internet que são muito ruins - como o cyberbullying, por exemplo - e como essas coisas não permanecem apenas na internet, interferem na vida das pessoas de forma bem mais ampla. É um filme muito, mas muito bom. Para assistir online, clique aqui.  

-

Espero que vocês tenham gostado das indicações, me contem aí nos comentários se já assistiram algum! :D 

Estilo não tem prazo de validade


Hesitei um pouco em escrever sobre esse assunto porque outros blogs já o fizeram antes de mim e com muito mais domínio do que eu, entre eles os excelentes Moda de Subculturas e Tribo Alternativa. Mas algumas coisas que li e ouvi nas últimas semanas me fizeram ter vontade de escrever algumas coisinhas. 

A gente já cresce sabendo que existe um consenso quase geral de que nossa vida é uma fase, que nossas roupas são uma fase, que nossas músicas são uma fase, que nossas opiniões são uma fase. Que como as pessoas muitíssimo adultas adoram falar, com todo aquele ar de superioridade no melhor estilo "estou num degrau acima do seu", elas sabem que isso é típico da adolescência - e que tudo que vem atrelado à ela é ruim. Elas já foram adolescentes, embora pelos seus discursos percebe-se que dessa época da vida guardam poucas lembranças do que viveram e sentiram de fato. 

Acontece que eu estou aqui, caminhando para os vinte anos que farei em breve, tendo deixado minha adolescência há pouco e com muita má vontade, porque de fato, não consigo descrever a mim mesma usando a palavra adulta. Destoa, e não é só por causa dessa minha cara de quinze anos - e nem tampouco, por falta de maturidade. 

Se ser adolescente é poder ter, nem que seja um pouco, de liberdade para se vestir e se expressar como bem entender, quero continuar sendo adolescente. Agora e daqui dez ou vinte anos. 

Esses dias, ao encontrar uma conhecida, ouvi a seguinte exclamação: mas tu ainda tem esse estilo!, e não encarei nem encaro de forma pejorativa, foi só uma expressão sincera. Como outros dizem, eu ainda me visto como adolescente. Dos meus treze anos até agora só fui adicionando elementos - ainda ouço a maioria das bandas que ouvia naquela época e continuo usando camisetas masculinas e all star - mas muito pouco se perdeu ou se modificou totalmente.

Nesses tempos em que o universo da moda está cada vez mais rápido, cada vez lançando novas tendências, cada vez ditando mais o que você precisa estar vestindo para estar na moda, é preciso lembrar que não somos obrigadas. Que não é pré-requisito de blogueira andar fantasiada de hippie nesses tempos de overdose de boho. Que tendências são coisas esdrúxulas que nos fazem gastar dinheiro à toa e que não perduram por mais de duas estações: se o que você estiver comprando não tiver nada a ver com você, não há motivo nenhum para comprar. 

Estilo não tem prazo de validade. Se o seu muda a cada fase da lua, meus parabéns pela versatilidade - mas o meu não. 

Em alguns momentos chega a ser até engraçado ver tanta gente que se acha entendida de moda desdenhando de quem tem estilo alternativo ou faz parte de alguma subcultura. É engraçado porque essas pessoas se sentem tão originais mas vivem de seguir novas tendências, originalidade e diferença de fato pouco há. Se o seu estilo e a sua vida é só uma fase pra você... bom, pra muitos outros não é. Isso quer dizer que algumas pessoas fiquem estagnadas e não mudem com o passar do tempo? Não. Dá pra mudar muito. Dá pra crescer, dá pra evoluir, e tudo isso sem perder sua essência. 

Porque crescer não é abrir mão de si mesmo. Estilo é algo muito maior que ser um consumidor de tendências. Existem inúmeras pessoas que não dão a mínima pra moda e ainda assim tem um estilo bacana. 

As vezes é preciso se adaptar um pouco a certas coisas (como ambientes de trabalho, por exemplo) e é chato, mas faz parte da vida. Mesmo assim, ninguém precisa abrir mão de si próprio, se moldar, deixar de lado sua própria personalidade. É triste que muita gente ainda tenha essa visão de que para ser um adulto responsável é necessário se "amenizar". É triste que ainda acreditem que alguém que veste jeans e camiseta de banda aos vinte não possa ter um futuro bom.

Então, se você acha que eu ou qualquer outra pessoa estagnamos no tempo, que é preciso mudar, se reinventar, que é só uma fase e todo esse blábláblá chatíssimo que sinceramente, já cansamos de escutar, só tenho algo a dizer: estilo não tem prazo de validade. 

E mesmo que tivesse... bom, o meu ainda não venceu. 

OOTD: Corselet Underbust


Oi gente! :D O loka de hoje é simples e todo preto, exceto o casaco bordô, claro. O tempo está mucho louco por aqui e tem feito frio e calor geralmente no mesmo dia, e tá chovendo muito!! Quando fotografei esse look ainda estava quente, mas como recebi já faz algum tempinho esse casaco da She Inside e parceria é parceria e temos prazos, catei pra colocar por cima mesmo e aproveito pra mostrá-lo nesse post, embora eu ache que só vou poder usá-lo pra valer daqui umas duas semanas, que é a previsão da friaca chegar de verdade. Ele chegou muito antes do que eu esperava, demorou menos de um mês e felizmente não foi taxado. Pelas fotos do site imaginei que esse casaco fosse mais fininho, tipo tench coat, mas ele esquenta mesmo o.o

O corselet chegou há umas duas semanas e comprei pelo Aliexpress, ele é preto, normalzinho e underbust, estava louca por ele e tenho vontade de usar todos os dias porque fica tão lindo no corpo! Por baixo dele usei uma regatinha básica preta e saia skater. Em breve farei um post falando sobre algumas compras no ali e falo mais sobre ele.   












Casaco: She Inside (tem em outras cores também) | Regata: Renner | Botinha: ModLily

Deem hype no lookbook!

Eu sempre fico meio que sem saber o que vestir para sair à noite no inverno e esse look me deu até inspiração, porque a ideia de um look com corselet e sobretudo por cima é bem bacana por ser bonito, marcar a cintura e quentinho, com a possibilidade de tirar o casaco ao entrar nos lugares. O piercing no septo é fake e é da Cookie Plushie, aliás, estava pensando em colocar um verdadeiro e ainda bem que não coloquei porque gente, não ficou bonito em mim não :((( auhuhauahau O batom é o lápis Vermelho Amour da Panvel (em breve resenha!) e o esmalte é o Uva da Avon. 

Espero que vocês tenham gostado do post, não esqueçam de comentar <3

Resenha: Batom FruFru da Dailus


Eu tenho estado um pouco alheia à essas novidades no quesito batons líquidos matte... isso porque já tenho muitos batons e não gosto de gastar com coisas que já tenho demais. Mas esse em especial chamou a minha atenção nos reviews que vi, e deixando passar essa loucurinha de lançamento (que me dá muita preguiça, admito) passei numa loja de cosméticos e comprei. 


Ele cumpre o que promete? Sim. O efeito é matte mesmo (não esses semi-matte fajutos, haha) e a textura parece de tinta nos lábios, de tão seco que fica - se você não gosta ou não está acostumada com batom matte, vai estranhar. A secagem é realmente rápida, mas dá pra delinear os lábios tranquilamente e construir camadas. A cobertura não é ruim, mas passa longe do "extrema": pra ficar nesse lilás simpático que é realmente o diferencial desse batom, são necessárias umas três camadas fininhas. 


O aplicador é tipo de gloss, e num tamanho bem ok pra firmar na mão e acertar o traço. Quanto a durabilidade, ele dura umas boas 4h sem comer ou beber. Não sai se você apenas beber, mas se comer vai sair no centro dos lábios e o retoque é difícil porque mancha, é melhor remover todo e passar de novo. Pra remover não é difícil. 


E eis aqui nos lábios! Ele é um lilás clarinho, com fundo azulado, vibrante mas ao mesmo tempo um tom "mortinho", sabem? hauahu Não sei explicar, achei muito parecido com o esmalte Audrey da Impala, que aliás é um dos meus esmaltes preferidos e nunca mais achei pra comprar :/ E que batom difícil pra fotografar, hein! Na luz artificial puxa mais para o rosa, só na luz natural que fica esse lilás.


E uma fotinho de rosto porque não gosto de ver apenas a boca :D Essa cor se destaca mais em peles mais escuras, o contraste fica absolutamente lindo! Mas eu gostei em mim também, é uma cor linda para variar o vermelho/vinho de todos os dias. 

Paguei R$25 chorando por ele! Sério, achei muito caro e dificilmente pago isso num batom. Mas estou usando tanto esse aqui que compensa rs. 

Esses novos batons líquidos da Dailus esgotaram em muitos lugares logo quando foram lançados, mas acredito que agora já seja possível encontrá-los com facilidade. 

E vocês, gostaram do FruFru? Compraram algum dessa coleção? Me contem aí nos comentários ^^ 

Filmes Assistidos Recentemente


Enfim chegou a sexta! :D Se você não está planejando sair nesse fim de semana, ou mesmo se está, dá uma conferida nessas dicas de filmes - porque sempre sobra um tempinho de bobeira. 

1. As Confissões de Schmidt 
(drama, comédia)


Schmidt é um homem de sessenta anos que precisa lidar com a recente aposentadoria e a morte repentina da esposa. Incerto sobre seu futuro e também sobre seu passado, ele parte rumo a Nebraska para ajudar no casamento de sua filha. Entretanto, cada novo passo que Schmidt dá parece sempre errado, fazendo com que ele acredite que o fim de sua vida será igual ao seu passado: um fracasso. Até que ele decide dividir sua jornada com um inesperado amigo: uma criança da Tanzânia que ele patrocina pagando 73 centavos por dia. Em suas longas cartas ao garoto, Schmidt conta sua história e passa a ver com outros olhos sua própria vida.


Um roteiro simples e um ator sensacional bastaram pra fazer desse filme uma ótima escolha. A tradução brasileira para o título deixa ele um pouco sem sentido (o original é About Schmidt), já que não há nenhuma confissão a ser feita, apenas a história de um homem comum sendo contada. É um filme calmo, sem grandes reviravoltas e com uma lição bacana de pano de fundo. Recomendo ;) Para assistir online, clique aqui

2. Independence Day 
(ficção científica, ação)


No dia dois de Julho os sistemas de comunicação do mundo inteiro se transforam num caos, devido à uma estranha interferência atmosférica. Logo se descobre que enormes objetos estão em curso de colisão com a Terra, o que logo revela-se ser naves espaciais pilotadas por alienígenas. No dia três de Julho o ataque alienígena começa de forma esmagadora, nem armas nucleares conseguem destruir a blindagem protetora das naves. Mas no dia quatro de Julho surge uma possibilidade de vencer o invasor e nesta hora todas as nações precisam se unir, pois está em jogo a existência da raça humana.


Eu sei, eu sei, demorei séculos pra assistir esse filme. É o mais conhecido do post de hoje e é o típico filme ruim que todo mundo precisa ver. É tao trash que chega a ser engraçado em muitos momentos, mas não deixa de ser um dos filmes de aliens mais importantes do cinema. No fim das contas, o que mais irrita não são nem os muitos furos no roteiro, mas sim, o extremo patriotismo dos EUA e o fato deles salvarem o mundo mais uma vez rs. Ano que vem será lançada a continuação desse filme e eu certamente vou querer assistir. Para assistir online, clique aqui

3. Estômago 
(drama, nacional)


Raimundo Nonato foi para a cidade grande na esperança de ter uma vida melhor. Contratado como faxineiro num bar, logo ele descobre que tem um talento nato para a cozinha. Giovanni, o dono de um conhecido restaurante italiano da região, o contrata como assistente. A cozinha italiana é uma grande descoberta para Raimundo, que passa a ter uma casa, roupas melhores, relacionamentos sociais e um amor: a prostituta Iria. 


Eu e esse meu amor por cinema nacional que só cresce. Estômago é um filme de roteiro simples mas muitíssimo bem produzido, com narrativa não-linear que prende o telespectador de uma maneira que poucos filmes fazem. Também expõe a realidade social de muitos grupos marginalizados da sociedade, o que o cinema nacional sempre faz muito bem, afinal de contas. É um drama dos fortes, mas cheio de pequenas adições de humor. No fim das contas, isso é o que faz desse filme tão incrível. Para assistir online, clique aqui

-

E então é isso! Espero que vocês tenham gostado. Já viram algum? Alguma indicação a fazer? Se bem que, pela minha listinha do filmow eu tenho filmes pra assistir pelos próximos vinte anos... hahaha