Filmes Assistidos Recentemente

Ultimamente tenho me irritado ao procurar filmes para assistir online, muitos que estão na minha lista eu ainda não vi porque simplesmente não acho - nem online, nem em locadoras. Existe um limbo para onde filmes pouco conhecidos vão? HHUSUHSDSUDHSUH De qualquer forma, fiquem com os de hoje: 

1. Os 3
(drama, romance, nacional)


Três jovens se conhecem numa festa e tornam-se inseparáveis. Alugam um apartamento juntos e de tão próximos acabam sendo conhecidos como "os três". Passam quatro anos mergulhados nessa amizade, mas com o fim da faculdade, e tendo de seguir adiante com suas próprias pernas, acabam aceitando transformar o lugar onde moram no cenário de um reality show, onde tudo está à venda e eles mesmos são os personagens. 


Eu gosto bastante de cinema nacional e com esse filme aqui não foi diferente. A história é bem diferente, o filme cumpre bem o que se propõe e não é cansativo em nenhum momento, aliás, esse filme é bem curto. A fotografia e a trilha sonora também são pontos altos. Enfim, não é um filme muito marcante, mas é uma boa história. Para assistir online, clique aqui.

2. Pássaro Branco na Nevasca
(drama, thriller)


Eve, mãe de Katrina, abandona a família, deixando todos em estado de choque. Kat e seu pai tentam seguir a vida, mas logo ela começa a ter sonhos perturbadores. Aos poucos ela irá perceber que há uma terrível verdade por trás do desaparecimento da mãe. 


Esse é mais um filme do Gregg Araki, um dos meus diretores preferidos, que aliás, creio que só faltem mais três filmes dele pra eu assistir :D Esse aqui tem a maravilhosa Eva Green no elenco, e é um filme interessante com um ritmo bacana e um final surpreendente, que vale por tudo. Para assistir online, clique aqui

3. O Jogo da Imitação 
(drama, biografia)


Baseado na história real do criptoanalista Alan Turing, considerado o pai da computação moderna, narra a tensa corrida contra o tempo de Turing e sua brilhante equipe no projeto Ultra para decifrar os códigos de guerra nazista e contribuir para o final da guerra. 


Pela sinopse eu não imaginaria o baita filme que O Jogo da Imitação é. É um filme tenso e que te prende do início ao fim. Fiquei com um sentimento de indignação muito forte por toda a injustiça que Alan Turing sofreu durante a vida, e mais ainda por saber que muitos fatos sobre ele foram omitidos durante décadas. Vale muito a pena assistir esse filme. Para assistir online, clique aqui

-

E vocês, já assistiram algum desses? Vão ver algum? Me contem aí nos comentários <3

TWWD: Vestido Estampado


Hoje é dia de look do projeto The Way We Dress :D Esse mês escolhemos o vestido estampado como peça, podendo ser qualquer estampa. Esse de caveirinhas é da Style Moi, aliás, esse é o último look com as peças que recebi recentemente. Eu já tinha me apaixonado por esse vestido no site, e quando chegou pude ver que ele é realmente adorável <3 É todo soltinho e levinho, com uma pequena transparência na barra, cintura mais marcada e renda na parte de cima. Enfim, amei ele <3

Pra completar, usei mocassim e jaqueta jeans, gosto muito de vestido com mocassim - fica tão bonitinho, né? Aliás, tô tão fofinha nesse look que tô até me estranhando, hahaha. Esse look eu usei pra sair a noite, aliás, já usei o vestido tanto com esse sapato quanto com creeper. 











Vestido: Style Moi | Jaqueta: Style Moi (em promoção) | Mocassim: Roox Style (shopping Canoas/RS)

Deem hype no lookbook!
A temperatura continua oscilando por aqui, mas no fim de semana deu tranquilamente pra usar essa jaqueta. Esse modelo curtinho não é meu preferido, gosto mais das oversized, mas assim fica legal com vestidos e saias. O batom é o 65 da Vult :D 

Não deixem de conferir o look das outras meninas, algumas não vão conseguir publicar esse mês, mas sempre vale a visita ao blog delas: 


Espero que vocês tenham gostado do post, não esqueçam de responder a Pesquisa de Público e me digam aí nos comentários o que acharam do look. 

Projeto: Mulheres no Rock e Metal


Já que em março houve o dia da mulher, nada melhor do um projeto desses nesse mês. Ele foi proposto pela Juliana Franco do blog Toca da Toupeira, com a intenção de divulgar as mulheres solo ou em bandas que a gente curte. 

Confesso que de cara achei o projeto maneiríssimo. Curto muitas bandas com integrantes mulheres ou inteiramente femininas e é um prazer pra mim falar um pouco sobre algumas delas. O cenário do rock e do metal em geral ainda tem muito machismo, o que é totalmente contraditório levando-sem conta a história do rock e da atitude questionadora que vem atrelada a ele. As bandas femininas ainda são pouco divulgadas e quando uma mulher é vocalista numa banda predominantemente masculina, sua beleza ainda é o fator mais comentado. Então, já que também houve uma mobilização na internet pedindo para lermos mais mulheres, deixo a dica para que a gente também ouça mais mulheres - porque vale muito a pena. 

E agora, claro, vou citar algumas das mulheres do rock/metal que eu adoro.

1. Shamaya Otep 


Eu poderia começar falando sobre qualquer mulher que vou citar nesta lista porque realmente gosto muito de todas. Poderia começar com alguma mais clássica ou mais conhecida também, mas eu senti que precisava começar com a Shamaya Otep, vocalista da banda Otep.  

Já faz bastante tempo que ouço essa banda e ela foi uma das minhas primeiras referências femininas no metal. Sobre a Shamaya, não sei nem o que dizer, só sentir. Ela é uma das que mais me representa. As músicas são incríveis e mesmo que nas matérias uma das primeiras coisas que se fale é sobre sua beleza, garanto que essa é a última coisa que você repara quando assiste um clipe. Os vocais, ora rasgados, ora sussurrados, ora guturais são absolutamente incríveis. As letras geralmente tocam em assuntos de contexto social/político/ideológico, e isso é algo que me agrada muito: gosto de gente que não tem medo de assumir posições, de dizer (e defender) aquilo que acredita. Shamaya sempre se posiciona (nas letras das músicas e em entrevistas) em prol de minorias. Admiro muito essa mulher. Abaixo, uma  música antiguinha, mas uma das minhas preferidas. 




2. Joan Jett


Meio óbvio, mas impossível deixar de falar sobre a Jett, considerada uma das mulheres mais importantes na história do rock. Seja com as Runaways, que foram a primeira banda de rock formada exclusivamente por mulheres a conquistar fama mundial, em carreira solo ou formando o Joan Jett & the Blackhearts, curto muito essa mulher, que também foi uma das minhas primeiras referências na adolescência. Não poderia citar uma música da Jett como minha preferida porque existem várias que eu sou apaixonada. Mas como estou ouvindo essa incessantemente nos últimos tempos, deixo pra vocês:



3. Brody Dalle


Outro amor de longa data, Brody Dalle, vocalista da falecida banda The Distillers, uma das minhas bandas preferidas, inclusive, e da Spinnerette e atualmente em carreira solo. Embora atualmente eu ouça mais metal, no início da minha adolescência eu curtia muito punk rock, e o Distillers era o máximo pra mim - uma banda punk com uma mulher no vocal. Curto muito a Brody por ser tão inteligente e assumidamente feminista em suas falas. 



4. Bulimia


Como eu disse antes, no início da minha adolescência eu curtia muito punk rock e principalmente, bandas brasileiras. Bulimia é uma banda de brasília, dos anos noventa, que infelizmente só lançou um CD e durou poucos anos, tendo terminado por causa da morte da baterista Berila. Mesmo assim, esse álbum é incrível e mostra uma banda punk feminina e feminista, cantando letras escritas nos anos noventa e que ainda hoje são tão atuais. O som do Bulimia é bem cru, mas eu adoro esse álbum e as letras das músicas. 



5. Siouxsie Sioux


Falar das mulheres no rock sem falar da Siouxsie pode? Não! Siouxsie Sioux, vocalista da Siouxsie and the Banshees, uma das maiores bandas de post-punk/rock gótico, encerrada em 1996. Siouxsie é dona de uma voz incrível e de um visual único, que até hoje inspira muita gente. Post-punk é um gênero que eu gosto muito e que tenho ouvido cada vez mais ultimamente. Essa música é um dos maiores sucessos da banda, e mesmo quem não conhece certamente já ouviu em algum lugar: 



6. Courtney Love




É triste que uma mulher com o talento da Courtney Love seja geralmente lembrada como "a esposa de Kurt Cobain" e não como a vocalista da Hole, uma das maiores bandas femininas dos anos noventa. Não está entre minhas bandas preferidas porque não faz tanto o meu estilo de música, mas curto bastante a Hole e admiro muito essa mulher. 



7. Dominatrix


Pra encerrar, nada melhor do que mais uma banda brasileira feminina e feminista, o Dominatrix. A banda tem músicas em inglês e português, e está ativa desde 1995. Da minha época de música punk/hardcore poucas bandas restaram, mas o Dominatrix é uma que eu sempre escutei e escuto. Admiro muito a Elisa Gargiulo, vocalista da banda e ativista. 



Para o post não ficar ainda mais extenso, paro por aqui. Creio que essas sejam as mulheres e bandas femininas que mais admiro e ouço, mas também posso citar muitas outras que gosto bastante: Bikini Kill, que apesar de ter um homem na banda, ainda assim é uma das mais conhecidas na cena do punk feminista. As já bem conhecidas, Simone Simons do Epica, Cristina Scabbia do Lacuna Coil, Candice, ex-vocalista da Eths. A banda Crucified Barbara, que é bem conhecida e eu curto bastante, a banda Girlschool e claro, Doro Pesch. As bandas brasileiras Pulso e Cosmogonia, assim como Megh Stock, vocalista da banda homônima e da falecida banda Luxúria. A ex-baterista Any Waist, da Lord Of the Lost e muitas outras bandas com mulheres na formação ou inteiramente femininas.

Os outros blogs participantes são: O Meu (não!) Incrível Mundo, Do meu Lado da Lua, 4sphyxia, Diva Alternativa, Cowgirls From Hell, Eccentric Beauty, Femme Toilet, Tribo Alternativa, Bah Lopes, Estranheza Peculiar, Tary Belmont e claro, o Toca da Toupeira.

Espero que vocês tenham curtido, me contem aí nos comentários as bandas femininas (ou com mulheres na formação) que vocês mais gostam! :D

OOTD: Live Fast, Die Young


Finalmente a temperatura baixou um pouquinho aqui no RS e deu pra tirar a meia-calça e o cardigã do armário. Estava com muita saudade de usar essas coisas, e mesmo que ainda não esteja frio, fico feliz com esse clima agradável <3 

O outfit de hoje é casual e a peça principal é essa regatinha estampada da Style Moi que recebi há umas duas semanas e tenho usado bastante, curti muito a estampa. Pra completar, short jeans, meia-calça, creeper e esse cardigã preto compridinho que é uma das minhas peças preferidas, estou sempre usando. No Outono então, super útil. Espero que vocês gostem do post :D 









Regata: Style Moi | Short: Oasáp | Cardigã: She Inside | Creeper: Lovely Shoes | Óculos: Romwe | Anel Tattoo: Cookie Plushie

Deem hype no lookbook!

A regata tem em outras cores no site, mas a cinza foi a que mais curti. Aliás, geralmente que não quero uma peça em preto acabo optando pelo cinza rs. Eu curti muito esse outfit porque é bem a minha cara e eu já estava louca pra sentir essa brisa de outono e poder usar um casaquinho <3 O batom é o lápis vinho da Panvel e o esmalte é o Rouge, também da Panvel - porque essa farmácia é só amor e eu adoro a linha própria de produtos, huauhaush.

Ah! Já faz algum tempo desde a última vez, então resolvi criar uma Pesquisa de Público para conhecer melhor vocês que leem o blog e poder melhorá-lo. Agradeço muito se puderem responder as perguntas, garanto que não leva nem 2min <3

Espero que tenham gostado do look, não esqueçam de comentar ^^ 

Filmes Assistidos Recentemente


O post de hoje só tem filmaço! Tá, ok que eu geralmente só indico filmes que pra mim foram bons, mas esses aqui estão mais perto de serem unanimidade, haha. Espero que vocês gostem tanto quanto eu!

1. Boyhood
(drama)


Filmado ao longo de doze anos, Boyhood conta a história de um casal de pais divorciados que tenta criar seu filho Mason. A narrativa percorre a vida do menino durante um período de doze anos, da infância à juventude, e analisa sua relação com os pais conforme ele vai amadurecendo. 


Não adianta assistir esse filme esperando uma história mirabolante e muita ação, porque não tem nada disso - é na simplicidade que Boyhood nos ganha. É um filme calmo, que explora uma história bem pé no chão - e certamente a filmagem ao longo de doze anos contribui para que ele seja um filme incrível. É excelente poder ver a mudança real nos atores, e também associar os elementos que aparecem durante o filme (desenhos, eletrodomésticos e etc) a suas épocas. As quase três horas de filme não foram cansativas para mim, de tanto que gostei. Para assistir online, clique aqui

2. Miss Violência
(drama)


Aggeliki no seu aniversário de 11 anos se joga da varanda de casa com um sorriso no rosto. Sua família alega que não foi suicídio, e sim um acidente e parece conformada com a morte da menina, tentando, de todas as formas, continuar com suas vidas. Em busca de respostas, promotores começam uma investigação para saber se foi ou não suicídio e quais são os segredos obscuros que essa família aparentemente perfeita guarda.


Eu não gosto muito de falar sobre o conteúdo do filme para não das spoilers desnecessários, mas se tratando de um filme desses é necessário ir preparado para cenas de abuso (físico e psicológico) e muita violência. As cenas são mais sugestivas do que demonstrativas, mas a sensação de sufocamente e impotência durante todo o filme são muito angustiantes. É um filme muito triste, pesado e totalmente sensacional. Agradecimentos à Caliane do blog Rainha de Copas que me indicou esse filmaço. Para assistir online, clique aqui

3.Whiplash 
(drama)


O solitário Andrew é um jovem baterista que sonha em ser o melhor de sua geração e marcar seu nome na música americana como fez Buddy Rich, seu maior ídolo na bateria. Após chamar a atenção do reverenciado e impiedoso mestre de jazz Terence Fletcher, Andrew entra para a orquestra principal do conservatório de Shaffer, a melhor escola de música dos EUA. Entretanto, a convivência com o abusivo maestro fará Andrew transformar seu sonho em obsessão, fazendo de tudo para chegar a um novo nível como músico, mesmo que isso coloque em risco seu relacionamento com a namorada e sua saúde física e mental. 


Sobre esse filme: não sei o que dizer, só sentir. Não consegui tirar os olhos da tela por um segundo. Achei fantástico do início ao fim, crescendo ainda mais nas cenas finais. Um baita filme para refletir sobre diversas coisas, inclusive quantos talentos são massacrados dia após dia, numa obsessão infinita de "ter que ser o melhor". Li pela primeira vez sobre esse filme no blog Refúgio e desde então estava querendo ver. Vale muito a pena assistir. Para assistir online, clique aqui.


E vocês, já viram algum do post? Gostaram? Comentem <3