TWWD: Cropped


Oi gente :D Olhem quem ~de novo~ está usando cropped com short? uhduadh Para quem tinha ressalvas quanto à essa combinação, até que estou usando bastante. Esse cropped é novo e é da Oasáp, ele é bem simples, como uma camiseta cortada mesmo. Tem de várias cores, mas eu gosto bastante de cinza e escolhi essa. O The Way We Dress desse mês demorou um pouquinho pra sair, mas saiu. Tão estranho pensar que é o último do ano, depois de tantos que eu e a meninas fizemos. Enfim, ano que vem teremos mais :D 

Combinei o cropped com esse short de poás que fazia uma eternidade que não aparecia por aqui, e creepers vermelho/bordô. No fim das contas não gostei muito das fotos, mas a vida é curta demais pra se lamentar, né? ahudhuasduah 












Cropped: Oasáp | Short: Marisa | Colar, Anel do Humor e Pulseira Tattoo: Cookie Plushie | Brinco: Oasáp | Meias: Oasáp 

Deem hype no lookbook! 

O look ficou simples, mas cheio de acessórios bacanas. O brinco de gatinho (que completa o corpinho atrás da orelha) é da Oasáp também, assim como as meias de renda que eu fiquei procrastinando um século para pedir, mas são fofinhas demais. Aliás, na loja tem um monte de modelos de meias legais, desde essas rendadas até estampadas. O anel do humor - sim! - é da Cookie Plushie, e ele realmente muda de cor, é muito legal. Lembro de ter tido um desses quando era criança ainda, que nostalgia ter de novo. O colar de duas voltas e a pulseira tattoo também são de lá, e leitores aqui do blog tem 15% de desconto na loja utilizando o código chanelfk :3 O batom é o 65 da Vult, um vermelho bem aberto que já resenhei aqui

Não esqueçam de conferir os looks das outras meninas! ;)


Espero que tenham gostado <3

Looks de Verão com Short e Jardineira


No inverno eu fiz alguns posts de inspiração com peças curtas (aliadas à meias-calça), e agora que o calor chegou de vez, nada mais justo do que fazer também. Pra mim é muito mais difícil me vestir no calor. Tudo é apertado ou curto demais, as opções são bem menores e na maior parte das vezes acabo vestindo short e regata. Para quem gosta de moda alternativa e tem um estilo mais alternativo o verão também é bem complicado, por isso esses posts vão servir até para inspirar eu mesma, hahah 

Também vou aproveitar esse post para #desabafar sobre a dificuldade que é encontrar looks para o calor - calor de verdade - na blogosfera. Os posts de looks voltados para essa estação geralmente tem jaquetas na composição e não consigo lidar com looks de verão com jaqueta de couro/jeans. Tudo bem que a gente sabe que na maior parte dos lugares tem ar condicionado, mas a vida real de quem precisa se deslocar, usar transporte público e etc não permite esse tipo de coisa. Então, por favor, vamos fazer uma blogosfera com looks mais reais? <3 E mais adaptáveis a realidade do nosso verão? <3 

Enfim, tentei selecionar looks bonitos e que conseguissem fugir do básico, espero que vocês gostem :D 










Esse post, inclusive, tem muitos looks de blogueiras brasileiras como a Talitah do Nuas&Cruas, a Glena do My Name is Glenn e a Victoria do Hey Carpe Diem, porque não foi fácil encontrar looks de verão adaptáveis para o nosso calor nos blogs estrangeiros. Tem muita gente que não consegue usar coturnos e botinhas nessa estação - eu me incluo aí também, salvo exceções como sair à noite - mas  sempre dá pra adaptar as inspirações com rasteirinhas, sapatilhas, mocassins, as birkens que tem feito sucesso atualmente e até a boa e velha havaianas ;) É bom investir nos kimonos beeem levinhos para usar por cima de regatinhas lisas, coletes, e claro, em blusas bacanas. E sim, é bem possível usar preto no verão, desde que se escolha peças frescas e de tecidos que deixem o corpo respirar. 

E vocês, o que costumam usar quando as temperaturas sobem demais? Gostaram das inspirações? Contem nos comentários <3

Por favor, não seja vítima da moda



Essa semana algo me chamou a atenção nas redes sociais: um grande compartilhamento (muitas vezes em repúdio) de listinhas  com itens que "já estão fora de moda" ou "tendências que já perderam a vez". Fiquei pensando em como tudo isso nos faz desgostar do que já temos e querermos sempre consumir mais, criando um ciclo infinito de consumo de tendências com prazo definido e se tornando "inúteis" após essa data. Quando que a gente enlouqueceu e isso passou a ser visto como normal?

Sempre achei esse título - tendência - meio besta. Tendência é o nome que modas passageiras levam, porque está todo mundo usando ou vai usar, porque literalmente as pessoas "tendem" a usar o que está na moda. Essa fissura pelo que todo mundo usa - e esse querer fazer o mesmo - demonstra uma grande falta de identidade própria. Porque nós precisamos acompanhar tendências, e pior, descartar tendências quando outras pessoas dizem que aquilo não cabe mais em nossos guarda-roupas? Me parece simplesmente absurdo deixar de usar algo que se gastou dinheiro, que se gosta, simplesmente porque não está mais sob a mira dos portais de moda ou porque "se usou muito no ano passado e cansou de ser visto". Sem contar o fato dessas "listinhas" virem sempre recheadas de itens de moda que fogem mais aos padrões do básico de sempre, deixando implícito que você não pode gostar do que é diferente, que o que é diferente é "brega" e você precisa se adequar àquele modelinho de moça conservadora vestida com peças "clássicas e atemporais" sofrendo em cima de um salto alto 24 horas por dia, até para ir à padaria - que obviamente, não existe. Não gente, não. 

Essa nossa vontade de criar padrões e apontar o que os outros devem vestir ou não, fazer ou não, só deixa clara a nossa própria insegurança - se o jeito do outro se vestir ou se expressar te incomoda, não há nada de errado com o outro - e sim com você. Ninguém é obrigado a gostar de nada, vivemos num país livre e democrático. Você pode gostar de tudo, ou de nada, se quiser. Só que a sua opinião *talvez* não seja assim tão importante para os outros - e quando não há necessidade nem nada de bom a acrescentar, é bacana repensar se é mesmo necessário dizê-lo. 

Nós, que não pertencemos às classes mais privilegiadas, e que, portanto, não temos grande poder aquisitivo, não podemos mudar nossos guarda-roupas à cada início de temporada ou descoberta de tendência. Mesmo assim, acompanhamos pessoas que ostentam estilos de vida bem próximos a isso, e mesmo que num nível bem baixo, mesmo que inconscientemente, acabamos desejando também poder ter acesso à isso. E a moda das fast fashions, acessíveis à um público maior, é cada vez mais descartável. A qualidade não é prioridade - a tendência é. Estamos consumindo roupas que não são baratas e que não são feitas para durar, porque se parte do princípio que a moda se reinventa e as roupas vão acabar sendo trocadas. Sim, a moda é cíclica, se reinventa, muda com o tempo e nós mudamos também. Mas estilo é algo que não muda, no máximo se aperfeiçoa, e diversas coisas nós podemos manter se comprarmos com consciência de quem somos e do que gostamos.

Então, por favor, não ligue para essas listinhas bobas. Você pode usar o que quiser, como quiser. Ninguém tem autoridade para te sugerir o que você deve ou não vestir - autonomia e liberdade são coisas boas demais para se abrir mão por causa da opinião de pessoas que você nem conhece. Você é melhor que isso. 

Filmes Assistidos Recentemente


Oi gente! :D Meu semestre na faculdade terminou essa semana e depois de tantas provas e trabalhos, pude me dedicar um pouquinho aos novos posts do blog, que estava bem parado nas últimas duas semanas. Prometo que vamos recuperar o ritmo :D Então hoje, como de costume, trouxe cinco filmes interessantes que assisti recentemente. Essa é uma lista bem variada em gêneros, já que eu geralmente só assisto drama e hoje tem até terror (que definitivamente não é minha praia) ;p 

1. Eu Sou a Lenda


Um vírus incurável dizimou a população de Nova Iorque. Robert Neville é um cientista que, sem saber como, se tornou imune ao vírus. Há três anos ele percorre a cidade enviando mensagens de rádio, na esperança de encontrar sobreviventes e paralelamente realiza testes com seu próprio sangue, buscando um meio de reverter o vírus. 


Sim, eu sei, demorei séculos pra assistir esse filme. Mas eu já havia dito por aqui que não sou muito de assistir lançamentos, né? Eu ouvi tanta gente me falar bem desse filme que, depois de tentar assistir umas três vezes e parar (porque estava achando o filme muito ~parado~) finalmente vi ele completo. E sim, é um filme muito bom, mas por toda a "propaganda" que me fizeram dele, esperava um pouquinho mais. Mesmo assim, eu adoro filmes (e obras em geral) com cenário pós-apocalíptico e gostei desse filme. Para assistir online, clique aqui.

2. Antes que o Diabo saiba que Você está Morto 


Andy é um usuário de drogas cuja carreira executiva está desmoronando. Ele convence seu irmão, Hank, que também passa por problemas financeiros, a assaltar a joalheria de seus pais. Na hora do roubo eles esperavam encontrar apenas uma funcionária idosa, mas sua mãe aparece de surpresa. O cúmplice de Hank acaba ferindo-a tão gravemente que ela é considerada clinicamente morta. Agora os irmãos precisam lidar com a repercussão de seu plano. 


Esse é outro filme que eu já tinha começado a assistir e "largado de mão" e quis dar uma segunda chance. Apesar de ser um filme cansativo (tanto no tempo quanto no ritmo), é um filme muito bom, que explora bem o comportamento humano e cresce muito do meio para o fim, desembocando numa trama bem complexa. Enfim, gostei bastante. Para assistir online, clique aqui

3. Invocação do Mal


Baseado numa história real, o filme se passa numa casa mal assombrada. Quando fica claro que uma entidade obscura está perseguindo a família da casa, eles chamam a ajuda dos investigadores paranormais Ed e Lorraine. 


Se a sinopse não tivesse o tão temido "baseado numa história real", esse teria sido um filme beeem fraquinho. Tem todos os clichês dos filmes de terror, e mesmo assim não é ruim, embora esteja longe de ser o tipo de filme que eu gosto. Para assistir online, clique aqui

4. Sob a Pele


Uma alienígena chega à Terra e começa a percorrer estradas estradas desertas e paisagens vazias em busca de presas humanas. Mas ao longo desse processo, ela acaba descobrindo uma inesperada porção de humanidade em si mesma. 


Ta aí um lançamento que eu assisti totalmente por acaso. Já tinha ouvido muita gente falar muito bem e muito mal desse filme, mas nem sabia que havia sido lançado há pouco e quis assistir pra tirar minhas próprias conclusões. Pra quem assiste procurando uma ficção científica, é decepção na certa. Mas o filme é bom, bem subjetivo e que provoca uma sensação de estranhamento muito forte em quem assiste. São poucas falas, um clima muito tenso e uma estética muito bonita, tudo passível de diversas interpretações. Para assistir online, clique aqui

5. Tudo Sobre minha Mãe 


Esteban é um jovem de dezessete anos que está escrevendo uma história chamada "Tudo Sobre minha Mãe". No dia do seu aniversário de dezoito anos, sua mãe promete lhe contar a verdade sobre seu pai, desconhecido para ele. Mas um acidente impede que isso aconteça e ela decide então ir atrás do pai de seu filho. 


Esse foi certamente o filme que mais gostei do post, e que só me deu mais vontade de assistir outros filmes do diretor, Almodóvar. É um filme tão bonito, tão tocante, um dos poucos filmes sobre mulheres, sobre a força da mulher, sobre ser mãe. Uma das alegrias da semana. Para assistir online, clique aqui

Então, por hoje é só gente. Espero que vocês tenham gostado da dica e que possam ver algum que ainda não tenham visto. Não deixem de comentar ^^